Domingo, 18 de Abril de 2021 09:18
(75) 99986-7916
Últimas notícias Covid-19

Cidades baianas sem UTI têm explosão de casos e aumento de mortes por covid-19

Mata de São João, Macaúbas, Araci, Maracás, Catu e Madre de Deus são alguns municípios em crise

24/02/2021 11h30
4.054
Por: Redação Fonte: Correio 24h
Cidades baianas sem UTI têm explosão de casos e aumento de mortes por covid-19

Explosão de casos ativos de covid-19, unidades de saúde sobrecarregadas e aumento no número de mortes, inclusive de pessoas que não aguentaram esperar na fila da regulação. Essa é a realidade em cidades do interior baiano que não possuem uma Unidade de Terapia Intensiva em sua infraestrutura hospitalar. O drama na saúde para esses municípios  é agravado pelo medo das prefeituras locais de não conseguirem vagas nos hospitais de referência do estado, que já operam com a ocupação de 80% ou mais nos leitos de UTI para pacientes do novo  coronavírus. 

 

Em Mata de São João, no litoral baiano, em apenas três dias – entre 17 e 20 de fevereiro -, foram registradas quatro mortes por covid-19. Uma das vítimas foi uma senhora de 73 anos que morreu no Hospital Municipal da cidade aguardando regulação para um leito de UTI. Em Macaúbas, no Centro-sul baiano, nessa segunda-feira (22), a UPA da cidade estava completamente lotada, com dois pacientes lutando pela vida enquanto aguardavam regulação e necessitando de suporte de oxigênio suplementar. A cidade tem 135 casos ativos e quatro mortes registradas.  

Em Araci, no Nordeste do estado, os casos ativos de covid-19 explodiram: são 495 atualmente, em uma população de cerca de 50 mil habitantes. São mais casos ativos do que os 395 de Vitória da Conquista, a terceira maior cidade baiana, onde vivem 350 mil pessoas. Araci tem ainda 27 mortes por covid-19. No início do mês eram apenas 21 óbitos. Das quatro mortes, uma aconteceu na própria UPA da cidade, de uma mulher de 66 anos, no dia 13 de fevereiro. Já não houve tempo hábil para ela ser regulada ao hospital. 

 

Outra cidade que teve que enterrar mais habitantes em fevereiro por causa da covid-19 foi Maracás, no Centro-sul baiano. A cidade de cerca de 20 mil habitantes viu em fevereiro o número de mortes no boletim epidemiológico saltar de 27 para 32, tornando-se o município da região com o maior número de óbitos, segundo o prefeito da cidade, Soya Novaes (PDT). Maracás tem ainda 107 casos ativos de covid-19, atendimento diário de 150 pessoas no centro covid e hospital municipal operando em capacidade máxima, mesmo sem leitos de UTI.  

 

Já em Catu, a 70 quilômetros de Salvador, em apenas 15 dias, os casos ativos de covid-19 aumentaram 592%. Eram apenas 12 no dia 7 de fevereiro, número que saltou para 83 no dia 22 do mesmo mês, segundo o boletim epidemiológico municipal. O número de óbitos na cidade também cresceu no mesmo período, de 40 para 46. O mesmo ocorreu em Madre de Deus, na Região Metropolitana de Salvador. Lá os casos ativos cresceram 700% em 14 dias: saltaram de 17 para 136 entre 8 e 22 de fevereiro. Outras três mortes pela doença aconteceram nesse mesmo período, elevando o número de óbitos de 30 para 33.  

Drama 

Prefeito de Maracás, Soya Novaes decidiu gravar um vídeo ao lado da secretária de Saúde Darlena Rosa no Hospital Municipal Álvaro Bezerra, falando sobre a situação da cidade. “É preocupante. A pandemia está aumentando em nossa cidade e a dificuldade tá muito grande”, disse o prefeito. A secretária explicou que os casos não param de crescer e o atendimento no hospital tem passado por dificuldades.  

 

“Além da nossa situação, vemos notícias dos leitos de UTIs nos nossos hospitais de referência do estado, todos ocupandos praticamente em sua capacidade máxima. É angustiante o que vivemos hoje. Nós não vamos conseguir fazer muita coisa se a população não fizer a sua parte. A pandemia não acabou. Nosso número de óbitos é alto e quando recebemos um paciente, se ele se agrava, nós não temos o que fazer, pois nossos hospitais de referência também não têm leitos para abraçar esse paciente”, disse Darlene.   

 

Mesmo a 344 quilômetros de distância de Maracás, em Mata de São João o drama é parecido. A secretaria de Saúde da cidade, Tatiane Rebouças, informou que esse é o pior momento da pandemia no município devido à dificuldade em conseguir regular pacientes para os hospitais de referência, que ficam em Salvador. O medo é que o próprio sistema de saúde da cidade possa colapsar, em um efeito dominó.  

 

“Eu acredito que a gente ainda não teve tantas mortes, como está acontecendo em outros municípios da região, como Camaçari, pois nossa atenção básica tem dado um suporte desde o começo da pandemia. Mas estamos tendo um crescimento enorme de casos notificados e confirmados. Ontem mesmo 82% dos resultados que saíram foram positivos”, relatou Tatiana.  

 

Em Mata de São João, além dos postos de saúde da família, as pessoas podem procurar atendimento no pronto de atendimento de Praia do Forte e no Hospital Municipal Doutor Eurico Goulart Filho. É lá que os pacientes em estado grave são internados e estabilizados até que possam ser regulados. “A gente tá com seis respiradores para dar assistência numa situação emergencial. Podemos até intubar se preciso. Montamos essa estrutura pensando em segurar os pacientes caso a regulação demorasse, como está acontecendo agora”, diz. 

 

Ainda segundo a secretária, a situação está tão caótica que a cidade possui dois pacientes cuja regulação para hospitais da capital baiana já saiu, mas eles ainda se encontram em Mata de São João devido à falta de transporte. “A UTI móvel que o estado disponibiliza ainda não veio pegar, provavelmente por estar bem demandada. Tudo isso pressiona nosso sistema. Estamos com oito pessoas internadas no hospital por causa da covid-19 e algumas em estado bem grave”, conta.  

O CORREIO procurou as outras prefeituras citadas nessa reportagem, mas não obteve retorno até o fechamento do texto.  

 

Dados 

O reflexo de toda essa realidade se dá nos dados de ocupação nos leitos de UTI do estado. Pelo quinto dia consecutivo, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) registrou nessa terça-feira (23) o maior número de pacientes internados em UTIs Covid-19 desde o início da pandemia. São 915 doentes em estado grave ocupando leitos nas diversas regiões da Bahia. O boletim epidemiológico também registrou 66 mortes e mais de 5 mil novos casos no estado nas últimas 24 horas.  

 

A taxa de ocupação dos leitos de UTI continua desde domingo em 80%. Já a dos leitos clínicos, para pacientes em menor gravidade, a situação é melhor: 58% de ocupação. Até às 18h dessa terça, 12 unidades de saúde da Bahia, espalhadas em 10 cidades diferentes, estavam com todos os leitos de UTI completamente lotados. Confira a lista completa no final do texto.  

 

Por causa dessa elevação na taxa de ocupação de leitos, há um toque de recolher em vigor no estado, com restrição de circulação das 20h às 5h. A determinação visa provocar uma redução da taxa de crescimento da Covid-19 na Bahia. Caso haja aglomerações em espaços públicos ou privados, você pode fazer uma denúncia anônima para facilitar o trabalho da polícia. Para isso, utilize os canais de comunicação oficiais através do 190, ou (71) 3235-0000 (para a capital) e no interior do estado por meio do 181. 

 

Lista dos hospitais baianos com 100% de ocupação: 

Hospital Geral Clériston Andrade, em Feira de Santana,  

Hospital Da Chapada, em Itaberaba,  

Hospital Municipal de Serrinha,  

Hospital Santa Helena, em Camaçari,  

Hospital Regional Dantas Bião, em Alagoinhas 

Hospital Vida Memorial, em Ilhéus 

Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna 

Hospital São Vicente, em Jequié 

Hospital Doutor Heitor Guedes De Mello, em Valença 

Hospital Português, em Salvador 

Hospital do Subúrbio, em Salvador 

Hospital Municipal de Salvador 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Alagoinhas - BA
Atualizado às 09h04 - Fonte: Climatempo
26°
Muitas nuvens

Mín. 20° Máx. 30°

27° Sensação
12.6 km/h Vento
59% Umidade do ar
67% (15mm) Chance de chuva
Amanhã (19/04)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 19° Máx. 30°

Sol e Chuva
Terça (20/04)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 19° Máx. 28°

Sol com muitas nuvens e chuva
Anúncio
Anúncio