A distribuição de uma segunda parcela do vale-alimentação de R$55 para estudantes da rede estadual de ensino na Bahia depende de um ajuste no orçamento do governo. Na manhã desta sexta-feira (29), em entrevista ao Jornal da Manhã, o secretário da Educação, Jerônimo Rodrigues, afirmou que se reunirá com o governador Rui Costa durante a manhã, para discutir a viabilidade econômica de uma nova fase da medida.

Em abril, o governo iniciou a distribuição do vale-alimentação para aproximadamente 800 mil estudantes do estado. O projeto, aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa do estado, tem custo estimado em R$ 44 milhões.

“Esse vale não estava no orçamento da secretaria. Por conta do coronavírus é que apareceu. Não está tendo participação de recursos federais. São recursos próprios do estado. O governador Rui Costa pediu que a gente fizesse a matemática em torno do orçamento. Estamos fazendo, vamos sentar com o governador, para ver a disposição real de orçamento para que a gente possa garantir a segunda parcela do vale-alimentação estudantil”, disse Jerônimo Rodrigues.

“Essa primeira parcela foi orçada em R$ 44 milhões do Fundo de Combate à Pobreza. Já conseguimos sentar com a Secretaria da Fazenda para fazer esses ajustes de forma legal, para se conseguir esse novo valor. O governador está preocupado com isso, vamos encontrar uma nova saída. Ainda hoje, teremos uma reunião com o governador para fazer as contas e, com certeza, ele anunciará a decisão dessa nova parcela”, complementou.

No início da distribuição do vale-alimentação, o governo credenciou duas redes varejistas para atendimento aos estudantes. A medida gerou filas nas portas de diversos supermercados de Salvador e cidades do interior do estado. Com a possibilidade de uma segunda parcela, o secretário confia que o problema não se repetirá, já que 700 mil dos 800 mil alunos já possuem cartões distribuídos pela gestão estadual.

Se aprovada a segunda remessa do vale-estudantil, os cartões serão reabastecidos e as famílias poderão comprar em qualquer mercado credenciado.

“Foi uma atitude emergencial. Os cartões, a empresa que forneceu, nos deu prazo de dez a quinze dias para que os cartões chegassem. Enquanto não chegavam, contratamos redes varejistas ara antecipar o valor de R$ 55. Ao longo do período os cartões foram chegando e os estudantes foram buscando o acesso a esse valor em seu povoado, em seu distrito. Já temos nas escolas e nas mãos dos estudantes todos os cartões. A decisão do governado em pagar uma segunda parcela, já temos nas escolas, até a próxima semana, todos os estudantes terão o cartão na mão e não precisarão buscar apenas uma ou duas redes. Se tivermos uma segunda parcela, com certeza não teremos aglomerações”, afirmou.

O vale-alimentação tem como objetivo substituir as refeições que seriam distribuídas nas escolas, que estão com aulas suspensas em todo o estado desde março. Por conta da pandemia de coronavírus, ainda não existe uma previsão para a retomada da rotina escolar na Bahia.

1 comentário

  1. Oi
    Quais os mercados credenciados??

Deixe uma resposta