O Atlético de Alagoinhas foi sorteada no Grupo 6 da Série D do Brasileiro. Na primeira fase, o Carcará viajará três vezes para Minas Gerais, uma vez para Tocantins, podendo ser duas, mais uma vez para o Distrito Federal, também podendo virar duas, já que o confronto preliminar envolve o Brasiliense e Tocantinópolis-TO. Por causa disso, o técnico Arnaldo Lira não viu com bons olhos os deslocamentos da equipe para medir forças com Palmas-TO, Patrocinense-MG, Gama, Tupynambás-MG e Caldense-MG. Para dar um suspiro, o Bahia de Feira também está na chave.

“Tem tantos times próximos daqui como Itabaiana, Frei Paulistano… Poderíamos ter caído no grupo deles. Acabou que caímos num grupo mais com times de Minas”, lamentou em entrevista ao Bahia Notícias. “Mas o importante da Série D é que você tem ir para a C. Independente de grupo, de times, tem que passar e ir para a C”, pontuou.

Recém-contratado pelo Atlético de Alagoinhas, Lira disse que o elenco precisará ser reforçado para poder brigar pelo acesso à Série C. A reestreia à frente do Carcará não foi das melhores. O time perdeu justamente para o Bahia de Feira por 3 a 0, na última terça-feira (3), na Arena Cajueiro, no encerramento da sexta rodada do Campeonato Baiano.

“A gente vai se preparar também. Com certeza vamos fazer algumas contratações e vamos ficar mais fortes para brigar pela vaga na Série C”, disse.

O primeiro jogo do Atlético de Alagoinhas na Série D será contra o Gama. A CBF reservou os dias 23 e 24 de maio para a primeira rodada da fase de grupos do campeonato. Porém, antes disso, o Carcará foca na disputa do Baianão. A equipe ocupa a sétima colocação com oito pontos, um a menos da zona de classificação à semifinal. No domingo (8), às 16h, o time enfrenta a Juazeirense, no Carneirão em Alagoinhas, pela sétima jornada.

Deixe uma resposta