A contagem regressiva já pode começar. Faltam apenas dez dias para que a primeira parcela do 13º salário caia na conta. O pagamento da primeira parcela do benefício acontece no próximo dia 30. No total, o salário extra vai injetar mais de R$ 9 bilhões na economia da Bahia. Os dados são do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômico (Dieese), que também estima que 4,4 milhões de pessoas vão receber o provento no estado.

Ainda segundo o Dieese, na Bahia, o valor médio do salário extra é de R$ 1.884. A segunda parcela do benefício deve ser paga até o dia 20 de dezembro. Com a injeção desse recurso extra na economia baiana, o pagamento da primeira parcela acaba se tornando o início de um aquecimento que vai alavancando as vendas até o período natalino. 

E tem consumidor que não quis nem esperar o dinheiro chegar. “A gente tem cartão de crédito para já ir antecipando as compras, eu já gastei um bom pedaço do que eu ainda nem recebi”, conta a auxiliar administrativa Ivone Lima, 42. Para ela, o 13º sempre acaba se transformando em compras de Natal e de presentes, para si e para a família. “Esse ano também resolvi investir na casa, comprei algumas coisas que estava precisando”, revela.  

Crédito renovado
Apesar dos consumidores que usam o valor antecipadamente, o setor não sente esse aquecimento de uma vez só. “Esse é um processo de ascensão que acontece paulatinamente e que começa nesse período. A liberação dessa primeira parcela é ótima para que o consumidor possa, não só ter condições de comprar, mas de resgatar pendências de crédito para que possa comprar novamente no futuro”, avalia Paulo Mota, presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado da Bahia, que espera um crescimento de pelo menos 5% nas vendas em relação ao ano anterior. 

Os shoppings, por sua vez, esperam um crescimento ainda maior. A expectativa é que as vendas cresçam pelo menos 10 ou 11% até o final do ano.

Edson acredita que a liberação do décimo terceiro se alia a outros fatores para começar a aquecer o mercado: juros mais baixos para novas compras e um aumento discreto dos empregos formais.

E o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Bahia (Fecomércio-BA), Carlos Andrade, engrossa o coro. Para ele, a injeção do dinheiro favorece a melhor época do ano “Esse dinheiro pulverizado ajuda bastante. Dezembro é o melhor mês para a gente. Além do 13º, a liberação do FGTS também ajuda a aumentar o conforto do consumidor a comprar”, avalia.

Economia
Esse início de aquecimento do setor de compras também se traduz em números. Os cerca de R$ 9 bilhões que serão injetados na economia baiana representam, ainda segundo o Dieese, aproximadamente 4,13% do total do Brasil e 27,2% da região Nordeste. Os bilhões estão divididos entre trabalhadores de diversos setores: os empregados do mercado formal, celetistas ou estatutários representam 53,6% das pessoas que receberão o benefício no estado, enquanto pensionistas e aposentados do INSS equivalem a 46,4%. O emprego doméstico com carteira assinada responde por 1,6%. 


Publicidade 3

Comentários

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui