Os avanços do Hospital Maternidade foram destaque na reunião do Conselho Municipal de Saúde, que acontece mensalmente, com profissionais da área.

Após receber o Prêmio Irmã Dulce 2019, em Salvador, pelo trabalho “Tecnologias não farmacológicas na Promoção de Humanização no Cuidado” e depois de ter o documento selecionado para o Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, também este ano, a Maternidade Doutor João Carlos Meireles Paolilo deu continuidade ao trabalho por melhorias no atendimento às parturientes, ampliou o quadro interdisciplinar, com a consolidação dos serviços de fisioterapia e psicologia, aumentou a realização de ultrassonografias e coleta laboratorial, e caminha agora buscando trazer ainda mais avanços para as pacientes de Alagoinhas e região.

Foto: Divulgação/SESAU

Com desafios pela frente e conquistas de um trabalho contínuo de toda a equipe de saúde, a Maternidade aposta no fortalecimento de laços entre os profissionais para buscar resultados ainda mais promissores e realiza, nesta segunda-feira, o I Simpósio de Sensibilização da Prematuridade, voltado a acadêmicos, pesquisadores, membros da rede hospitalar e da Atenção Básica.

Foto: Sid Siqueira

A programação, iniciada às 8h, no auditório da Faculdade Estácio de Medicina, conta com palestras sobre responsabilidades frente ao cuidado com o prematuro, abordagens quanto ao contexto familiar, rodas de conversa sobre amamentação e bate-papo com neonatologistas, obstetras, enfermeiras, fisioterapeutas, psicólogas e profissionais da área.

Foto: Roberto Fonseca

Segundo a secretária municipal de saúde, Rosania Rabelo, a realização do Simpósio caminha em consonância com o trabalho realizado e reflete o comprometimento do município com melhorias efetivas às parturientes e aos recém-nascidos. De acordo com ela, reunir, discutir coletivamente e promover o diálogo entre profissionais é também um passo fundamental para que se possa avançar em qualidade de serviço ao cidadão.

Monalisa Oliveira, diretora da Maternidade, destacou que o Simpósio possibilita a interação, o compartilhamento de experiências, a atualização, a troca de informações, o debate, e sensibiliza os profissionais para a escuta, a assistência e a atenção. Segundo ela, a intenção é falar sobre os cuidados, promovendo reflexões voltadas ao progresso na assistência à saúde da mãe e do bebê – que impactam diretamente em toda a família.

A programação

Imagem: Divulgação

Com o tema “Prematuridade: Cuidado Integral para uma vida saudável”, o I Simpósio de Sensibilização do Hospital Maternidade Dr. João Carlos Meireles Paolilo reúne profissionais para discussões sobre o cuidado e para palestras sobre as diretrizes do trabalho com pais e bebês prematuros. Entre rodas de conversa, explanações, bate-papo e mesa redonda, o Simpósio chama a atenção para a importância do cuidado humanizado, sensível, e do acolhimento em saúde.

“É como Dr. Amado, coordenador médico de obstetrícia, e Dra. Lília, médica neonatologista, falaram pela manhã. Tudo o que a gente precisa está aqui com a gente. Nosso coração, nossas mãos, nossa vontade, nosso vínculo. É claro que as tecnologias duras, que são os aparelhos, são importantes, mas eu tenho as mais importantes, que são as leves, o que está em mim, a minha essência. É isso que a gente quer resgatar: esse amor, essa paixão. Esse é o nosso maior objetivo: sensibilizar a nossa equipe. Eu acho que é primordial a educação permanente. Só com capacitações e com encontros como esse é que conseguimos recarregar a nossa bateria. É claro que cada profissional tem a sua formação acadêmica, seus estudos, sua busca pelo conhecimento. Mas a gestão precisa proporcionar isso e a ideia é essa. Já estamos planejando um Simpósio de obstetrícia para o ano que vem e temos mais ações pela frente”, salientou a diretora do Hospital Maternidade, Monalisa Oliveira, que acompanhou todas as atividades, nesta segunda-feira (18).

Evolução significativa
O I Simpósio de Sensibilização da Prematuridade acontece após avanços significativos do Hospital Maternidade de Alagoinhas, que passou pela ampliação do quadro de profissionais, e conta agora com serviços de fisioterapia 24h, atendimentos de psicologia para pacientes e funcionários, enfermeiras especializadas em neonatologia para os cuidados de berçário, suporte 24 horas para coleta de laboratório, classificação de risco, 12 protocolos implementados, além de ampliação da oferta de ultrassonografia e educação permanente para os profissionais.

Com melhorias efetivas para o atendimento à população, a Secretaria Municipal de Saúde registra um salto qualitativo da Maternidade.

Segundo a presidente do Conselho Municipal de Saúde, Steleyjanes Rodrigues, o cenário que era apontado e discutido constantemente nas reuniões do Conselho, no que se refere às condições de trabalho e situações do Hospital Maternidade, já não é mais o mesmo.

“A gente tem muita coisa que pode melhorar ainda, mas hoje a gente percebe o setor caminhando realmente na mesma direção, a gente já percebe até a própria diminuição das denúncias que tínhamos. Já tem mais de 4 meses que não recebemos uma denúncia no Conselho sobre a Maternidade, e isso é extremamente positivo. Não há denúncia de paciente que foi mal atendido, de maus tratos ou de alguma situação constrangedora, e depois de uma apresentação no Conselho Municipal de Saúde, em reunião no dia 12 deste mês, pela primeira vez, a gente sai de lá com todos os conselheiros dizendo a mesma coisa, parabenizando a gestão de Joaquim, parabenizando Rosania, como secretária, e também Monalisa e toda a equipe por tudo que vem sendo realizado, por todos os avanços e desafios que toda a unidade encarou, e por todos os resultados que vem tendo”, afirmou Steleyjanes Rodrigues.

Foto: Sid Siqueira

A diretora da Maternidade, Monalisa Oliveira, atribui os avanços a união de esforços da gestão municipal, ao comprometimento e trabalho da equipe multidisciplinar, à oxigenação do corpo médico, às capacitações, ampliações de serviços e mudanças implementadas, com a consolidação de serviços de fisioterapia e psicologia, entre outros fatores. “Doze protocolos efetivos foram implementados na unidade, que não tinha protocolo nenhum. No corpo de enfermagem, foram efetivadas algumas comissões que estavam paradas. Contamos hoje com o Núcleo Interno de Regulação, com o Núcleo Interno de Qualidade, ampliamos a nossa oferta de ultrassonografia e conseguimos, depois de muito empenho, o certificado junto ao Conselho Nacional de Medicina, que a unidade nunca teve. 100% dos nossos óbitos são investigados, nossa taxa de cesariana é de 20%, abaixo do que o Ministério da Saúde preconiza. Nossa taxa de óbitos também está abaixo da média nacional. Tivemos iniciativas nesse semestre, com o Outubro Rosa, o Cuida-Dor, que é o projeto de cuidado aos nossos profissionais, tivemos capacitações, e agora, para fechar o ciclo deste semestre, o I Simpósio de Sensibilização da Prematuridade”, pontuou Monalisa Oliveira, que acrescentou “Foi e ainda é um desafio muito grande, mas conseguimos avançar. O sentimento é de emoção, de cuidado, de gratidão. E isso nos impulsiona a buscar ainda mais”.

Foto: Sid Siqueira

Para a secretária municipal de saúde, Rosania Rabelo, os passos são importantes e o intuito é chegar a resultados cada vez mais promissores para as mães e os bebês, na ponta do serviço, garantindo uma assistência qualificada em todos os setores.

Publicidade 3

Comentários

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui