Com foco em viabilizar um processo de inclusão escolar efetivo, que garanta, aos alunos que requerem algum tipo de suporte, o desenvolvimento pleno na sua série escolar, e em mobilizar os profissionais que atuam nas salas de aula de Alagoinhas a construírem saberes que contemplem a realidade educacional para a diversidade, a Secretaria Municipal de Educação (SEDUC) promoveu, na última semana, uma formação, que contou com o Núcleo de Educação Inclusiva, psicopedagoga, terapeutas ocupacionais, nutricionistas e técnicas.

As atividades, direcionadas aos 25 profissionais de apoio, que já estão atuando nas salas de aula da rede municipal de ensino, englobou planos de ação, dinâmicas, práticas de trabalho, rotinas pedagógicas e estratégias que contribuam não apenas para o acesso, mas para a permanência e a aprendizagem de alunos da educação especial nas escolas públicas municipais.

Foto: Roberto Fonseca

“O objetivo principal é que a gente possa atender essas crianças da melhor forma possível. Todos os itens dessa formação foram pensados em conjunto. O trabalho coletivo reflete diretamente na qualidade de ensino dos nossos alunos. Alagoinhas, mais uma vez, dá um passo à frente”, salientou o secretário municipal de educação, Jean Afonso, que chamou a atenção também sobre a importância de regulamentação do cargo do profissional de apoio no município – mais uma realidade que se concretizou na gestão Joaquim Neto, com a Lei n°136/2019.

Segundo o gestor, no contexto do ensino inclusivo, o preparo de profissionais da escola, que atuam junto aos alunos, com ou sem deficiência, é também resultado da interação cotidiana dentro do grupo, daí a necessidade de formação para entender, sensibilizar, pensar processos de forma multidisciplinar. “O que a gente busca não é só o acesso. O intuito nunca foi apenas cumprir a lei ou garantir apenas a matrícula; o que a gente quer é o envolvimento, é a construção de um trabalho responsável, o compartilhamento de experiências com vista à evolução do ensino-aprendizagem nas nossas salas de aula. Contamos com profissionais comprometidos, com agentes fundamentais nesse processo”, acrescentou Jean Afonso.

Para Rosemeire Silva, presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência e integrante do Núcleo de Educação Inclusiva do município, “todos que participaram da formação são pessoas engajadas na luta das pessoas com deficiência”. Segundo ela, a união de esforços é fundamental. “Estamos juntos nessa causa. A gente pleiteia uma educação para todos e tenho certeza que essa equipe, junto com esse secretário, sensível a essas necessidades, tem trabalhado e caminhado para isso”, afirmou.

Aprovados através de Processo Seletivo Simplificado, os 25 profissionais de apoio foram empossados no dia 1° de agosto deste ano e a intenção é que eles façam parte de uma rede de apoio à inclusão escolar.

Os facilitadores Arnaldo Oliveira Santos, terapeuta ocupacional, Paula Saldanha, nutricionista, Naiara Barbosa, fisioterapeuta, Jandira Dantas, psicóloga, Adriana Simão, técnica da SEDUC, Luza Carla Nonato, também técnica da SEDUC, e Thaís Fiscina, psicopedagoga, conduziram as atividades durante os dias 11 e 12 de setembro e foram voluntários da iniciativa.

A previsão, segundo a Secretaria de Educação, é que as formações sejam realizadas mensalmente. Novos encontros acontecerão nos dias 2 e 3 de outubro.

Publicidade 3

Comentários

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui