“E ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais”, diz os versos do cantor e compositor Belchior em canção que ficou imortalizada na voz de Elis Regina. Para o ator Érico Brás, padrinho da campanha de intensificação da Ação Cidadã Sou Pai Responsável, desenvolvida pela Defensoria Pública do Estado da Bahia – DPE/BA, no entanto, a história não poderia ser mais diferente.

Durante o evento de lançamento da campanha na manhã desta quinta-feira, 8, na Casa de Acesso à Justiça I , em Salvador, Érico Brás contou um pouco de sua vida e discorreu sobre como sua experiência como filho foi inversa à experiência como pai.

Todos assumimos papeis. O Érico Brás @ericobras atua, canta, dança, mas o papel mais importante que assume é o de pai. Nossa Ação Cidadã #SouPaiResponsável visa a conscientização para que pais estejam presentes na vida dos filhos em todos os aspectos. Precisa reconhecer a paternidade? Procure a #DefensoriaBahia mais perto de você. Se você for de Salvador, Disque 129 (telefone fixo) para agendar seu atendimento, ou fica ligado aqui nas nossas redes, que estamos sempre divulgamos nossos mutirões. Os exames de DNA são gratuitos! #DiaDosPais

Posted by Defensoria Bahia on Thursday, August 8, 2019

“Meu pai não era presente na minha vida. Nunca me levou à escola, nunca foi lá saber o que fazia ou não fazia. Ele não tinha noção do que acontecia comigo. Ainda criança, quando descobri a arte, logo percebi que não queria repetir certos comportamentos dele, inclusive o de ser um pai ausente. Pensava ‘quando for pai quero fazer diferente’. E assim venho me esforçando”, assinalou ainda no começo de sua fala Érico Brás.

💚 Este é o primeiro de uma série de vídeos sobre a Ação Cidadã Sou Pai Responsável, edição 2019, que traz como padrinho o ator baiano @ericobras, pai de @ericasoliv_. Fiquem ligados que lançaremos novidades sobre a campanha ao longo da semana! #DefensoriaSim #DefensoriaBahia #SouPaiResponsável

Posted by Defensoria Bahia on Tuesday, August 6, 2019

De acordo ele, quando sua filha nasceu, momento em que ele tinha 24 anos, seu senso de responsabilidade pessoal e social mudou completamente. “O pai presente que hoje sou nasce da minha atitude de refletir sobre minha vida, mas também da necessidade de transformação de nossa sociedade”, acrescentou Brás.

Iniciada em 2007, a Ação Cidadã Sou Pai Responsável é realizada durante todo o ano pela DPE/BA e intensificada no mês de agosto, quando se comemora o dia dos pais. A campanha busca tanto estimular a participação dos pais no convívio e desenvolvimento dos filhos, como incentivar homens relutantes a assumirem a paternidade de crianças sem registro.

ASSUMINDO A PATERNIDADE
Para a defensora pública e coordenadora da especializa de Família Tatiane Franklin, a iniciativa visa sobretudo sensibilizar os pais a entender a importância da paternidade. “Nossa missão não é apenas oferecer testes de DNA para investigação de paternidade. É necessário conscientizar a sociedade da importância da paternidade, ajudando mesmo o pai a ser pai, para que eles se envolvam com a vida, as atividades dos filhos. Para as crianças o exemplo é um grande aprendizado”, comentou.

Além de estimular o diálogo e promover mediação e conciliação para que os reconhecimentos dos filhos sejam espontâneos, a Defensoria oferece exames de DNA gratuitos para apuração de paternidade. Desde sua criação a Ação Cidadã Sou Pai Responsável já assistiu mais de 23 mil pessoas e só em 2019 já foram quase 2 mil testes de DNA realizados.

“São vários os pais, infelizmente, que por medo, por dificuldade econômica, por terem dúvidas, não reconhecem seus filhos. É óbvio que a criança vai sofrer muito com isto. Mas o pai, quando não assume sua condição, perde também. Perde a maior relação de amor que um homem pode ter, que é por seus filhos. Porque nenhuma relação se compara quando você percebe que há uma criança que um dia vai ser tornar adulta e que depende para isso da sua assistência, dos seus cuidados”, declarou o defensor público geral Rafson Ximenes, que prestigiou o lançamento da campanha.

De acordo com dados do Conselho Nacional de Justiça, o Brasil conta hoje com mais de 5,5 milhões de crianças que não têm o registro do genitor masculino em seus documentos. Além de outdoors, busdoors e spots para rádio, também integra a campanha de intensificação da Ação Cidadã Sou Pai Responsável vídeos nas redes sociais, cartazes e folders.

Publicidade 3