Diante das especulações de que o Grupo Heineken sonda a exclusividade do Carnaval de Salvador e outras festas da capital baiana, o clima ainda é de mistério. Informações de bastidores dão conta de que a terceira maior cervejaria do mundo se movimenta para duelar com a líder do mercado nacional, Ambev, atual parceira da prefeitura de Salvador.

Conforme informações do colunista Jairo Costa Jr, do Correio*, a decisão de brigar com a principal concorrente no Brasil pelo domínio na folia da capital faz parte dos planos da Heineken de aumentar sua participação no Nordeste, onde a Ambev ainda mantém larga vantagem no segmento de cervejas.

Ainda conforme a publicação, fontes ligadas à companhia de origem holandesa dão conta de que a estratégia tem como pano de fundo a brecha surgida com o fim do contrato entre a rival e a prefeitura de Salvador, firmado em 2016 e válido por três anos, dentro de um pacote que incluiu também o Réveillon da cidade.

Procurada pelo BNews, o grupo Heineken não se pronunciou até o fechamento desta matéria. A Prefeitura de Salvador, através da Empresa Salvador Turismo (Saltur), declarou, em nota, que “não confirmará nenhuma das informações a respeito do assunto até o momento oportuno”.

A Ambev também emitiu nota ao site declarando que prefere não se posicionar.

Histórico

O modelo de exclusividade da cervejaria começou em 2014, com a Brasil Kirin, atualmente Heineken. Em 2016, foi fechado um acordo entre a prefeitura de Salvador e a Ambev com investimentos da ordem de R$ 30 milhões por ano, valendo por três anos, para a realização de eventos como o Carnaval e Réveillon, além dos festivais da Cidade e da Primavera. Outros eventos do tipo também foram prospectados pela parceria.

Publicidade 3