Reprodução

Em meio à preparação de mudanças no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) criticou nesta sexta-feira (19/07/209) a multa de 40% sobre o saldo das contas dos trabalhadores em caso de demissão sem justa causa – mas não revelou se, no pacote de alterações, estará o fim desse benefício. “É quase impossível ser patrão no Brasil”, disse Bolsonaro, pouco depois de um culto na Igreja Sara Nossa Terra, em Brasília.

“Precisamos falar a verdade. Falar do trabalhador dá mais voto”, prosseguiu.

Segundo o presidente, a multa foi elevada no governo de Fernando Henrique Cardoso para evitar demissões. “E o que aconteceu depois disso? O pessoal não emprega por causa da multa”, declarou Bolsonaro.

Publicidade 3