Sucesso de público, o São João de Alagoinhas, este ano, trouxe o embalo não apenas para a avenida, nos dias de show, mas também para os lojistas, no centro da cidade. Atraindo turistas de municípios vizinhos e também de outros estados, o resultado da combinação entre comidas típicas, forró e grandes atrações, no circuito oficial do São João, é positivo: de acordo com o presidente do Sicomércio, Benedito Vieira, as vendas se mantém em crescimento, com os festejos juninos, podendo chegar a um aumento de 5% em relação ao ano anterior.

Para atrair visitantes de fora e atender às expectativas do público local, os organizadores da grande festa buscam aliar repertórios: não abrem mão do forró pé de serra tradicional, com os clássicos da música popular nordestina, mas agregam, à programação da festa, nomes consagrados da música brasileira, conhecidos por outros estilos musicais.

Foto: Karina Coelho/Divulgação

Com uma programação diversificada, o objetivo é unir pessoas para um evento que contemple as famílias no período do festejo tradicional. “A realização do São João é uma oportunidade excelente para apresentarmos a cidade não só aos baianos, mas às pessoas de todos os cantos que buscam os festejos juninos tradicionais. Nosso foco é o forró pé de serra, que começou desde o dia 12 de junho, com o Trem, e o arrasta pé continua, com o compositor e sanfoneiro Flávio José, hoje à noite, no palco oficial, mas temos também outras atrações, a exemplo de Harmonia, Bell, ontem, Adelmário Coelho, Zé Duarte e tantos outros”, pontuou o prefeito Joaquim Neto.

Quem trabalha no comércio já sentiu os reflexos do festejo junino. Segundo o gerente da loja Real, Adelmar Estivo, o movimento cresceu significativamente no período. “O movimento cresceu, sim. O público do comércio vinha em uma decaída, também por motivos da economia, mas, graças a Deus, nossas vendas mudaram bastante. Não podemos comparar com outros anos, mas, pelo período, está ótimo”, relatou. De acordo com ele, o crescimento das vendas, em relação aos meses anteriores, será de 60% a 70%.

Divulgação

A loja Aragon Modas, no centro da cidade, levou o forró para a rua. A estratégia para alavancar as vendas, no período, trouxe uma caixa de som e um locutor à frente do estabelecimento. Com a música animada e o convite oficial, o intuito, segundo a gerente Najara Mendes de Jesus, é não deixar ninguém do lado de fora da vitrine. “Tem que animar. Embora não tenha sido tão expressivo quanto esperávamos, tivemos um aumento nas vendas, sim. Houve a contratação de mais 4 funcionários e 2 deles devem continuar conosco”, afirmou.

Com o comércio informal, não foi diferente. Na feira montada no centro da cidade, próxima à agência do Banco do Brasil, para a comercialização de artigos de São João, o movimento também foi intenso. “Todo ano essa feira é conhecida em Alagoinhas. O prefeito designa um local e a gente monta essas barracas, sempre no São João. Esse material de espuma de São João, a gente que fabrica, para vender nessa época. A minha amiga aqui trabalha o ano todo com flores, daí a gente uniu o útil com o agradável e montamos a tenda. E gera emprego também, porque a gente colocou uma menina para trabalhar com a gente. Foi ótimo! Não tenho do que reclamar, não”, disse o responsável pelo estande, Gildásio de Jesus Souza.

Divulgação

Para visitantes e moradores, que contaram com o funcionamento do comércio na manhã deste domingo (23), as lojas abertas fizeram a diferença nas compras de São João. “Estou procurando uma roupa para hoje. Tenho um aniversário, tem a casa de amigos e tem a festa. Se der tempo, vou para tudo. Estou olhando. Gostei desse, gostei daquele. Apesar de já ter alguns em casa, vim escolher o modelo para os festejos de hoje”, comentou Luciana González, enquanto escolhia as peças para a noite deste domingo (23).

De acordo com o diretor de turismo da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo (SECET), responsável pela iniciativa, os reflexos dos festejos juninos foram sentidos no comércio e também na rede hoteleira: com 100% de taxa de ocupação, os hotéis e pousadas da cidade recebem, desde a última semana, visitantes de fora.

A Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo (SECET) salientou que a repercussão da festa engloba hotéis, mercado local, vendas de ambulantes do comércio informal, bares, restaurantes e também taxistas, com geração de emprego e renda em toda a cadeia produtiva da região.

Incluída no Mapa do Turismo Brasileiro, em 2017, a previsão é que Alagoinhas, geograficamente situada a 128km de Salvador, injete um número cada vez mais significativo na economia local, se consolidando como rota turística no interior do estado.

Divulgação

Só na noite deste sábado (22), cerca de 60 mil pessoas estiveram na Avenida Joseph Wagner, em Alagoinhas, onde foi estruturado o palco principal do evento. A festa continua neste domingo (23), a partir das 18h.

A realização é da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo (SECET), com apoio do Conselho Municipal de Cultura, do Fundo de Cultura, da VLI, da Itaipava e do Atacadão.

Publicidade 3

Comentários

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui