Não foi só em participação do público que o Trem do Forró bateu recordes esse ano. As 27 viagens, que começaram no último dia 12 de junho e foram encerradas neste domingo (16), terminaram em saldo positivo para uma iniciativa solidária: é que os mais de 1200 itens arrecadados, entre fraldas geriátricas e latas de leite, na troca para passagens da linha férrea, serão doados a instituições de caridade do município.

Foto: Kekeu/SECOM

De acordo com a Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo (SECET), responsável pela iniciativa, cerca de 15 instituições devem ser beneficiadas.

A ação não é inédita. Desde a idealização da proposta e a primeira realização do trem, em 2017, a Prefeitura defende que a viagem tenha um fim cultural, histórico, de valorização da memória e dos festejos tradicionais e até solidário, mas não econômico.

Para viabilizar os percursos, nos dias de festejo junino, a SECET conta com o apoio da empresa VLI, do Conselho Municipal de Cultura e do Fundo de Cultura, que este ano garantiram 27 viagens de 40 minutos na estação São Francisco.

“É claro que a mãe que chega para uma viagem e não tem condições de arcar com uma lata de leite, ou um pacote de fraldas, não fica de fora. O preponderante nunca foi o fator econômico. É uma troca e não uma venda de passagens, isso procuramos deixar bem claro. Mas ficamos felizes em saber que o grande sucesso do trem terá reflexos positivos também para instituições da nossa cidade”, pontuou professora Iraci Gama, vice-prefeita e secretária municipal de cultura, esporte e turismo.

Para as instituições que recebem os itens, a arrecadação traz um efeito significativo.

Na APAE Alagoinhas, as 78 latas de leite recebidas no ano passado, com o Trem do Forró, se transformaram em brigadeiro, doces comercializados pelas mães dos alunos, e, mais recentemente, até em surpresas dos ovos de Páscoa. Segundo a presidente da APAE Alagoinhas, Júlia Maria Pereira, são doações que transformam a realidade das mães e dos alunos dentro da instituição.

“As latas que chegaram em junho, do trem, contribuíram para a nossa festa da Páscoa, de Natal, e também ajudaram algumas mães. O leite de doação eu posso passar para mães doentes, também para a criança que está precisando. Além dos docinhos, por conta do leite, ainda tem a Vila. Nós participamos ano passado vendendo mingau, que traz para nós um pouquinho mais e dá a condição dos nossos filhos irem à sorveteria, de irmos a Salvador, à caminhada dos deficientes, como ocorreu no ano passado, e até oportunizou, em 2018, que comprássemos uma máquina de cortar cabelo, juntando o dinheirinho da Vila e do balaio que comercializamos aqui na APAE. Então essa manifestação de cultura, de turismo para a cidade, que atrai visitantes, também proporciona recursos. A Vila não imagina o quanto ela proporciona. A cultura hoje conduzida por Iraci e pelo governo municipal também ajuda a gente dessa forma”, salientou Júlia Maria Pereira, que acrescentou “professora Iraci é uma pessoa maravilhosa. Ela levanta bandeiras, digamos assim, já esquecidas e que ganham vida. Coisas simples, do nosso dia a dia, para o especial, têm um significado. Essa brincadeira, de passear de trem, que não se vê tão fácil hoje, de entender o que é o trem, esse meio de transporte, é muito interessante. Alagoinhas tem suas histórias, suas raízes baseadas na leste. Essa parte de cá foi formada praticamente por causa dessas ferrovias, quando surgiram os aglomerados. A cidade se esticou por conta das linhas férreas e isso foi muito interessante. Tudo isso é a cultura da nossa terra, da nossa cidade, que estamos proporcionando aos nossos filhos”, ressaltou sobre a importância do Trem do Forró não apenas enquanto iniciativa solidária, mas enquanto proposta cultural dos festejos tradicionais no município.

A APAE não foi a única contemplada com as doações e a secretaria convidou, este ano, um grupo de 50 alunos da instituição para uma viagem de trem garantida. A partida aconteceu no dia 13 de junho e a SECET comunicou que outras instituições, como a Pestalozzi, a Pastoral do Menor e lares de idosos, também foram beneficiados.

A secretaria informou ainda que as 1047 latas de leite e os 214 pacotes de fraldas arrecadados este ano serão novamente distribuídos entre instituições locais.

Foto: Kekeu/SECOM

A intenção, segundo a Administração Municipal, é proporcionar uma contrapartida positiva a instituições que realizam um trabalho significativo no âmbito municipal, fazendo da grande festa de São João também um momento de compartilhamento e solidariedade.

Em 2019, a APAE Alagoinhas participa mais uma vez com a comercialização de mingau durante a Vila de Santo Antônio da Lagoinha, que começa nesta terça-feira (18), no Mercado do Artesão, após o encerramento das viagens do trem, e a Prefeitura traz novamente o “barracão solidário” para receber itens que serão destinados às instituições.

Confira a programação da Vila através do link: 

https://www.alagoinhas.ba.gov.br/index.php/arrasta-pe-da-vila-santo-antonio-da-lagoinha-comeca-nesta-terca-feira-confira-a-programacao/.

Publicidade 3

Comentários

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui