Acostumados a procurar por menores preços em cidades como Salvador e Feira de Santana, a cidade de Alagoinhas via na instalação de um atacadão na cidade a esperança de gastar menos com deslocamentos e comprar mais perto de casa. A paixão pela opção durou pouco e os clientes já começam a reclamar dos preços.

Nas redes sociais, por exemplo, é uma febre de postagens de itens comercializados pela rede e que estão acima dos preços. As queixas se multiplicam. Mas trouxe algo positivo para a cidade, avalia o catuense Antônio dos Santos Silva. Segundo ele, os supermercados de Alagoinhas têm agora um concorrente à altura, pois antes esse mercado se limitava a duas grandes redes, uma loja hiper e os mercadinhos de bairros.

Mas nem todos estão de acordo com os preços praticados, pois fazem grandes deslocamentos e se frustram com os preços encontrados. “Tive que me dividir entre o Atacadão, uma grande rede e um mercadinho de bairro pra poder compensar o deslocamento de 88 km entre Esplanada e Alagoinhas”, disse a dona de casa Maria Angélica Santana.

Ela disse que fazia o deslocamento mais longo, até Feira de Santana, e ficou feliz quando soube da inauguração de um atacadão em Alagoinhas, mais perto de sua cidade, mas se decepcionou com os preços. “Eu não sei se os preços em Feira de Santana e Salvador estão os mesmos, mas aqui está tudo caro, não levarei tudo o que eu quero e posso, pois ainda tem o combustível e trocar o óleo do carro antes de pegar a viagem”, finalizou ela.

“Vim de Pojuca, peguei 42 Km até Alagoinhas e chego aqui e encontro preços maiores do que os mercadinhos de bairro de minha cidade”, disse Carlos Antônio, durante compras na rede Atacadão, em Alagoinhas.

Segundo ele, alguns produtos superam o valor cobrado em cidades pequenas, daí sua decepção em deixar sua cidade em busca de melhores preços. “Além disso, aqui em Alagoinhas eu encontrei supermercados de bairros e até os centrais com melhores preços e promoções mais demoradas, por isso que me dividi”, disse Carlos Antônio.

Sérgio Luis Borges da Silva, mecânico, disse que a cidade de Alagoinhas e região não vão abrigar dois atacadões, pois, mesmo atendendo a uma região com mais de 500 mil pessoas, a concorrência, mesmo salutar, não vai oportunizar aos consumidores preços competitivos e produtos de qualidade.

Ele disse que espera que essa concorrência entre os atacados seja benéfica para o consumidor final, tanto para os consumidores domésticos quanto para os pequenos comerciantes que compram para revender.

Nossa redação solicitou à empresa que faz assessoria de imprensa ao Atacadão uma posição, e recebemos a seguinte informação.

Informação à imprensa

A rede informa que os preços praticados estão de acordo com a média do setor de atacarejo, priorizando sempre as necessidades dos clientes, tanto dos pequenos comerciantes quanto dos consumidores finais. Acrescenta ainda que a unidade recém-inaugurada em Alagoinhas (BA) faz parte de um plano de expansão que visa expandir a presença da rede em diversas cidades além das capitais brasileiras, ciente da importância de proporcionar mais opções para a população dessas regiões.  

As informações são do site GazetaBahia.com.br

Vanderley Soares | Jornalista – DRT 4848

Publicidade 3