Foto: Reprodução

Uma Casa de Farinha comunitária que fica no Povoado de Cruz das Almas em Esplanada, vem preocupando toda a região, que já alertou a prefeitura sobre um possível desastre ambiental, causado pelo despejo irregular da manipueira, líquido amarelado que sai da mandioca e é muito poluente.

Segundo informações levantadas com Andréa Castro, representante da ONG – Comunidade Cristã, a situação dessa casa de farinha é muito preocupante, porque esse problema se arrasta há mais de dois anos e nenhuma providencia foi tomada, para que os resídios sólidos dessa casa de farinha sejam armazenados e manipulados de forma correta e que não tragam riscos ao meio ambiente.

Segundo Andréa, esses resíduos sólidos (manipueira), são lançados numa fossa que transborda e contamina todo o solo, trazendo problemas em curto e longo prazo. Disse ainda, que no ano passado, a prefeitura mandou fazer a sucção desta fossa e a empresa responsável pelo serviço, deixou a manipuera pelo caminho de forma lenta, onde todo acesso até o Povoado de 05 Estradas, ficou dias e dias com mau cheiro e que essa situação foi sinalizada ao secretário de meio ambiente da Esplanada.

“Estamos prestes a presenciar um desastre ambiental de dimensão incalculável, porque a manipuera contem substâncias toxicas” Disse Andre a Castro.

Segundo o SEBRAE, o líquido amarelado que sai da mandioca é muito poluente, mas técnicas corretas permitem seu uso como adubo, vinagre e até sabão. Despejada na natureza, a manipueira provoca a poluição do solo e das águas, causando grandes prejuízos ao meio ambiente e ao homem. Esse despejo pode e deve ser evitado com a utilização de técnicas corretas de manejo da casa de farinha.

Como usar corretamente a manipueira, clique aqui.
Publicidade 3