Crédito da Foto: Divulgação

Um jovem de 15 anos levou uma facada no braço dentro do Ciep Brigadeiro Sergio Carvalho, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (14/3). Ele contou que o agressor, de 17 anos, gritou “o mundo é nosso” antes do ataque.

A vítima, que não teve a identidade revelada, relatou que estava com os amigos quando o adolescente chegou, proferiu a frase e já tentou esfaqueá-lo. Ele defendeu colocando o braço no pescoço do agressor, que tentou, mas não conseguiu alcançar a barriga da vítima.

Na segunda tentativa, entretanto, colocou o braço na frente do corpo e levou um corte de 4,5 cm. Ele foi levado para o Hospital municipal Rocha Faria, em Campo Grande, levou quatro pontos e foi liberado no mesmo dia.

Este era o primeiro dia de aula do jovem na escola. A mãe pediu e a Secretaria estadual de Educação deve transferi-lo para outra unidade. O agressor já estudava lá. Professores contam que o rapaz não assistia às aulas e ficava muito tempo pelo pátio.

A família alegou à polícia que o agressor sofre de distúrbios psiquiátricos e toma remédios controlados. Ele foi encaminhado para a Delegacia de Proteção do Adolescente (DPCA). Um juiz decidirá se ele será internado ou será liberado. O adolescente ainda contou ao delegado que frequentava os mesmos chats na internet que os dos jovens responsáveis pelo massacre que terminou com 10 mortos, incluindo os próprios assassinos, num colégio estadual em Suzano (SP), na última quarta (13). No entanto, ele negou que tenha sido influenciado pelo que aconteceu em São Paulo.

Deixe uma resposta