Falta de sistema e serviço suspenso marcaram o atendimento no Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA) nesta quarta-feira, 26, primeiro dia do emplacamento veicular padrão Mercosul. A atualização do sistema, iniciada na última sexta-feira, 21, ainda não foi finalizada, provocando filas e reclamações por partes dos motoristas que aguardavam pelo serviço.

O taxista João Carlos Adorno, de 30 anos, é uma das pessoas que aguardavam pelo atendimento. “Eu estou com meu carro 0 km, vim aqui na sexta, mas o sistema estava fora do ar e estava acontecendo um protesto. Ontem fui parado pelo pessoal do (Esquadrão) Águia, porque o carro estava sem placa. Hoje cheguei aqui e a situação é praticamente a mesma. O período de 15 dias que você tem para fazer o emplacamento é concessionária-casa-Detran. Você não pode circular na cidade, é restrito”, reclama.

Na sexta-feira, 21, os serviços relacionados ao emplacamento foram suspensos às 12h, devido a uma atualização do sistema que vai disponibilizar a nova placa Mercosul. A previsão era que o sistema fosse retomado às 8h desta quarta, o que não ocorreu. 

“É uma atualização no banco de dados, e isso vem impactar em qualquer serviço nosso, como o emplacamento. Entretanto, a parte de licenciamento, que é o CRLV, o documento de rodagem que você apresenta em blitz, está gerando normalemnete. A parte de CNH também está normal. Esta atualização no sistema é feita anulamente e ainda não foi concluída. A previsão é que de ele retorne às 14h30 ou 15h, então a gente está no aguardo e torcendo para que tudo dê certo”, explica o coordenador da Central de Atendimento do Detran, Ítalo Nunes.

Ítalo enfatiza ainda que existe um planejamento para incluir mais funcionários nos guichês, com o objetivo de agilizar o atendimento quando o sistema for retomado.

Liminar

No início de dezembro, a Associação Baiana de Empresas Estampadoras de Placas e Tarjetas Automotivas (ABEEP) conseguiu uma liminar que suspendeu por 90 dias os efeitos da Portaira nº 1273/2018 do Detran, que previa o início da implantação da placa em 15 dias.

O presidente da associação, George Lélis, afirma que nem os emplacadores nem o próprio Detran estariam prontos para iniciar o emplacamento, o que motivou o pedido para adiar o início do emplacamento. “Conseguimos a liminar e um aconselhamento do Ministério Público, que solicitou a parada no processo porque viu indícios de irregularidades, e o diretor estranhamente seguiu o caminho dele, sem obedecer a ordem judicial. Inclusive, o nosso setor jurídico está agora no plantão judicial para pedir uma ordem de prisão para ele, por não obedecer o que foi dito pelo juiz”, ressalta.

Sobre a produção das placas, George diz ainda que os estampadores ainda não possuem o material necessário. “Nós temos que assinar um contrato com a empresa que fornece esse produto, que só tem uma na Bahia. O sistema de compra só entrou (em funcionamento) no sábado à tarde. De lá para cá, não houve dia útil, então ninguém conseguiu fazer pedido para rodar o material”, denuncia o presidente da associação.

prazo para implementação da nova placa foi adiado três vezes. Segundo o Detran, a prorrogação foi necessária por causa do número baixo de empresas fabricantes e estampadoras de placas que se cadastraram no Denatran para oferecer o serviço no estado. A placa terá quatro letras e três números, emblema do Mercosul, bandeira do Brasil, marca d’água e código de barras bidimensional (QR-Code).

FONTEA Tarde
COMPARTILHAR

Deixe uma resposta