Publicidade 3

Os resultados alcançados com a realização da ‘Expedição Estrada Real – Caminhos da Bahia Colonial’, foram positivamente avaliados nesta sexta-feira (dia 21) pelo secretário do Turismo da Bahia, José Alves, durante reunião com o presidente da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), Alexandre Brust e equipe técnica.

Setur e CBPM são responsáveis por trabalho conjunto visando à consolidação dos ‘Caminhos da Bahia Colonial. Para tanto, realizaram entre 2014 e 2017, o georreferenciamento da Estrada Real, em território baiano. O estudo identificou as coordenadas exatas do Caminho Real e os indicativos do potencial turístico ao longo do trecho compreendido entre Rio de Contas e Jacobina, numa extensão de 750 Km.

A expedição sobre bicicletas acaba de percorrer os Caminhos da Estrada Real da Bahia, únicas vias de acesso do sertão durante o século XVIII, por onde passavam aventureiros, escravos e tropeiros. São trechos calçados, rústicos, de pedra irregular, circundadas por igrejas e outras construções da época, além das riquíssimas belezas naturais da Chapada Diamantina.

“Esta iniciativa é relevante porque contribui para a consolidação dos Caminhos da Bahia Colonial”, disse o secretário estadual do Turismo, José Alves, referindo-se ao fato de a expedição de bike ter percorrido a caatinga, passando por trechos originais do caminho do ouro, no século XVIII. “Estão cadastrados, nesta região Oeste da Chapada, sítios arqueológicos, pinturas rupestres, grutas etc”, acrescentou o secretário.

Para 2019, a meta da Setur é implantar sinalização turística ao longo do eixo entre Rio de Contas e Jacobina e mobilizar setores público e privado para novos investimentos, valorizando ainda mais aspectos histórico-culturais da rota do ouro.

VIALenilde Pacheco
COMPARTILHAR

Comentários

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui