Publicidade 2

Após acompanhar a ampliação do Grupo Petrópolis e a inauguração da 1ª linha de produção da cerveja Heineken no Nordeste, com a fábrica de Alagoinhas, em novembro, o prefeito Joaquim Neto foi ao Rio Grande do Sul buscar investimentos com empresários que possam reforçar o potencial de mercado e fortalecer o polo industrial da cidade.

Quem fez o contato inicial e acompanhou o gestor na busca por investimentos foi o secretário municipal de desenvolvimento e meio ambiente, José Edésio Cardoso. A intenção, segundo ele, é de estabelecer um diálogo inicial com empresas de projeção nacional que possam incrementar a produção e o desenvolvimento da cidade.

“Temos buscado alternativas, para o cidadão, que não dependam exclusivamente da carteira assinada, temos fomentado o empreendedorismo, inauguramos este ano o Espaço do Empreendedor, mas isso não significa que não tenhamos que buscar investimentos, com o intuito de fazer de Alagoinhas um polo de atrações não apenas da linha de bebidas, mas em outros segmentos”, pontuou José Edésio.

Na última quarta-feira (5), ele e o chefe do executivo se reuniram com Marcelo Giovani Guimarães, diretor de planejamento da Usaflex, pioneira na fabricação de calçados de conforto para homens e mulheres, que gera 2,8 mil empregos diretos nas 4 unidades produtivas do RS.

“Queremos que a primeira unidade fora do estado seja criada aqui em Alagoinhas. Foi um diálogo inicial, mas destacamos o interesse e o potencial econômico do nosso município”, destacou o secretário.

A reunião não foi pontual. Na quinta-feira (6), Joaquim Neto e José Edésio encontraram o presidente da indústria de bebidas FRUKI, em Lajeado (RS). A empresa, cujo parque industrial conta hoje com uma capacidade produtiva de 420 milhões de litros por ano, é um destaque no segmento de refrigerantes, sucos e água mineral.

Na reunião com o presidente da Fruki, Nelson Eggers, os gestores falaram sobre a localização estratégica da Alagoinhas e enfatizaram a qualidade da água proveniente do Aquífero de São Sebastião – um atrativo que tem sido fundamental para a instalação e ampliação das indústrias de bebidas na cidade.

“O Brasil vem atravessando uma crise, um processo de desaceleração do crescimento, de falta de investimento do capital estrangeiro e precisamos, mais do que nunca, caminhar na contramão desse desaquecimento econômico. Então partimos em busca de investimentos. Se eu consigo atrair investidores ao nosso município, isso significa geração de emprego e renda para a nossa população”, salientou o secretário de desenvolvimento.

A previsão, a partir de agora, é que as empresas façam uma análise específica sobre as características do município para avaliar as condições, projeções e investimentos. Um novo encontro já está marcado para 2019, com foco em novos debates para encaminhamentos positivos.

Para o prefeito Joaquim Neto, a viagem proporcionou conexões importantes e gera agora expectativas no que tange à atividade econômica do município. “Fomos muito bem recebidos, tanto na Fruki quanto na Usaflex. Em um futuro próximo, queremos que Alagoinhas se torne não apenas um polo de bebidas, mas que atraia empresas de segmentos diversos, como o ramo de calçados. Queremos Alagoinhas economicamente forte e produtiva, com atrativos de renda e emprego”, finalizou.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente informou que novos contatos e viagens já estão sendo negociados em um trabalho conjunto da Administração Municipal para que novas empresas cheguem à cidade.

Deixe uma resposta