Publicidade 2
Reprodução

A Polícia Militar (PM) instaurou inquérito para apurar a morte do professor Iraílson Gama da Costa, morto em uma suposta troca de tiros com policiais militares, em Salvador, na noite do dia 28 de novembro. As informações da abertura das investigações foram confirmadas com a Secretaria de Segurança Pública do estado (SSP-BA), nesta quinta-feira (6).

De acordo com a SSP, o atleta teria sido baleado durante uma troca de tiros com agentes da Rondesp/BTS, no bairro do Comércio, após denúncias de assalto, no dia 28 de novembro.

Um outro homem, que ainda não foi identificado, estaria com ele e também morreu na ação. Conforme a SSP, dois revólveres calibre 38 e um carro roubado foram apreendidos com os dois.

A mulher de Iraílson Gama contesta a versão da polícia. “Cadê as provas? Ninguém acredita nisso”, questionou a mulher do mestre.

Marta Helena Gama nega que o marido, com quem era casada há 15 anos, tenha envolvimento com crimes e pede justiça. Ela, que também é mestre em jiu-jitsu, descobriu a morte de Iraílson quatro dias após o desaparecimento dele e ainda não entendeu o que aconteceu.

“Família, amigos, todos estão inconsolados, sem acreditar que ele foi para outro mundo e sem acreditar na história da polícia. Nada disso muda quem ele era. Ele era maravilhoso”, diz Marta.

Segundo Marta, Iaraílson saiu de casa, no dia 28, para treinar, por volta das 11h. Ele estava sem carro. Depois disso, ele não apareceu mais. Foi no dia 29 de novembro que a família iniciou as buscas por ele.

Contudo, o corpo de Sinho Bahiano, como era conhecido, só foi encontrado no último domingo (2). Depois de procurar em hospitais e delegacias, Marta foi ao Instituto Médico Legal (IML) e descobriu que o marido estava morto há quatro dias.

Iraílson Gama foi enterrado na tarde da segunda-feira (3), no Cemitério Campo Santo, no bairro da Federação, em Salvador. Dezenas de familiares e amigos do professor de Jiu-jítsu compareceram à cerimônia, incluindo o filho dele com Marta, que tem 12 anos.

Deixe uma resposta