Publicidade 2
Foto : Daniel Brito / Metropress

A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) condenou, na última quinta-feira (22), a empresa de ônibus Expresso Metropolitano Transportes, com sede e atendimento na cidade de Simões Filho, região metropolitana de Salvador, a indenizar um motorista vítima de assalto no ano de 2012.

De acordo com a decisão, a empresa deverá pagar ao motorista cerca de R$ 20 mil por danos estéticos e mais R$ 50 mil por danos morais. Segundo o portal do TST, a Turma concluiu que o empregado correu risco inerente à atividade profissional no momento em que estava exercendo sua função durante o assalto.

Em abril de 2012, a vítima recebeu dois tiros no pescoço e no ombro. No momento do crime, os criminosos pediram a sua carteira e, mesmo tentando explicar que seus pertences estavam dentro do porta documentos, o motorista recebeu os disparos.

Na ação movida, a vítima alegou, por meio de uma declaração trabalhista, que os motoristas e cobradores da Expresso Metropolitano eram constantemente vítimas de assaltos, mas a empresa, mesmo ciente, não tomou providências. Entretanto, a empresa se defendeu afirmando que não pode ser punida pela “precariedade da segurança pública”, transferindo a responsabilidade para o governo do Estado.

Deixe uma resposta