Publicidade 2

Sobra racismo e falta oportunidade entre a juventude preta da Bahia. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a Bahia ocupa o segundo lugar no ranking nacional com 76,3% autodeclarados pretos e pardos, um dos estados mais negros do Brasil elegeu a primeira mulher negra para Assembleia Legislativa do Estado, 129 anos depois da instituição do sistema Republicano, Olívia Santana (PCdoB), de 51 anos, assumi o cargo em 2019.

Com o tema Juventude preta (R)existe, desafiando as diversas formas de genocídio a Universidade do Estado da Bahia – Campus I, II e XI, realizará o 1º Forúm da Juventude Preta Baiana, que acontece nos dias 28, 29 e 30 de novembro, a partir das 8h. O Fórum discutirá o genocídio e a violência enfrentada pela juventude preta na Bahia, debatendo desde o processo de colonização ao imperialismo cultural imposto historicamente à população negra, na busca de trilhar com os participantes caminhos para combater o racismo.

“A ideia para realização do Fórum de Juventude Preta Baiana nasceu da nossa indignação junto a alguns colegas de diversos Campus da UNEB, convidamos representantes dos Movimentos sociais da cidade de Alagoinhas para integrar a construção do evento. Precisamos entender, questionar e discutir as diversas formas de violência que o nosso povo vem sofrendo historicamente no Brasil e no Mundo, no nosso recorte a Bahia”, explicou Ana Gonçalves, estudante de História e Coordenadora do Forúm.

Os dias que integram o Forúm buscarão explorar e construir discussões sobre a juventude preta na Bahia, através dos Grupos de Trabalhos desenvolvendo propostas que objetivem a melhoria da vida desta população no município. Segundo Ana, o Forúm construirá através dos Grupos de Trabalho Metas para que tanto o município de Alagoinhas quanto o Estado cumpram durante os próximos anos.

“A intenção é que o Conselho Municipal de Desenvolvimento da Comunidade Negra e Afrodescendente de Alagoinhas, a Prefeitura, além da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Estado (SEPROMI), se comprometam em contribuir para o cumprimento das Metas Propostas a partir do Documento Final que será elaborado no Evento”, concluiu a estudante.

As inscrições para o evento são gratuitas e podem ser feitas online, através do site https://congresso-da-juventude-negra-baiana.webnode.com/, durante o evento haverão discussões ampliadas sobre os temas: relações étnico-raciais, violência e conflitos, saúde, gêneros e sexualidade, tempo livre, esporte, lazer, artes e cultura, espiritualidade e religiosidade, educação, consumo e novas mídias e o arquétipo Preto na Educação Infantil.

O Forúm ainda conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Alagoinhas através da Secretaria de Assistência Social, além das Diretoria de Reparação e da Coordenação Especial de Política da Mulher.

Por Mannoel Rosa  – (DRT 2113)

Deixe uma resposta