Alagoinhas ainda sonha com um shopping e espaço de lazer

Publicidade 2


Poder realizar compras e desfrutar de lazer e entretenimento numa única área, proporcionando aos clientes um ambiente diversificado de comércio e serviços. Essa frase é uma das mais esperadas frases de uma matéria de jornal dos moradores de Alagoinhas.

A promessa de construção de um shopping center já foi desconstruída duas vezes, onde houve pompa e circunstâncias, mas não saiu do papel, apenas plantas e projetos, coquetéis de lançamentos e muita divulgação na mídia.

Dos dois empreendimentos prometidos para Alagoinhas, um deles foi para outra cidade, Serrinha, e o outro ainda está em compasso de espera. A boca miúda, alguns dizem que o shopping não foi instalado em Alagoinhas por motivos diversos, dentre eles a discrepância no interesse nos terrenos oportunizados aos empreendedores à época.

E foi a partir daí, depois do boom imobiliário e das promessas de instalação de um shopping, que o valor por metro quadrado de terrenos e imóveis subiu percentualmente acima de cidades como Feira de Santana e Aracaju, dizem os analistas.

Um terreno que custava em média R$ 10 mil reais, próximo ao centro, em área acidentada e pouco valorizada, passou a custar fortunas e, mesmo assim, foram vendidos e hoje abrigam condomínios modernos e valorizados.

A valorização de terrenos dificultou a instalação do shopping. Um deles, à margem da BR 101, foi alvo de disputa familiar, inviabilizando a concretização do negócio, que passou a ser um sonho para a população local.

Alagoinhas sonha com um shopping para não necessitar deslocamentos para Feira de Santana, Salvador ou Aracaju, cidades mais procuradas pelos moradores com potencial econômico de consumo e busca por lazer e entretenimento.

A cidade de Feira de Santana, por exemplo, já está prestes a inaugurar seu segundo shopping, enquanto Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, já inaugurou no início do ano um moderno e diversificado shopping.

A cidade de Alagoinhas tem potencial de consumo, mas sua proximidade com as três cidades de maior atratividade econômica e de lazer, Salvador, Feira de Santana e Aracaju, talvez seja um empecilho para a instalação de um equipamento desse porte.

O Laguna Shopping, inaugurado em 1999 e concebido para ser um grande shopping do interior da Bahia, acabou se transformando num centro de negócios e clínicas. A única coisa que restou da época de sua criação foi o Cine Laguna, que enfrenta dificuldades para se manter.

 

Vanderley Soares

Jornalista – DRT 4848

Deixe uma resposta