Expo Alagoinhas promete incremento na venda de animais este ano

Publicidade 2


Com uma previsão de 55% em incremento de vendas de animais, a 21ª Expo Alagoinhas promete movimentar o ambiente de negócios na região. Desde a última semana, o Parque de Exposições Miguel Fontes, onde será realizado o evento, recebe os animais que devem participar de leilões, torneios e julgamento de raças.

No último sábado (27), chegaram as primeiras matrizes de gado Girolando, do estado de Minas Gerais, que participarão de disputas válidas para o ranking nacional.

Segundos os organizadores Fernando Rocha, da raça Girolando, Rubens, do Gir Leiteiro, Gustavo Tourinho, criador de Nelore, e Nilton dos Anjos, de cavalos Campolina, há um clima otimista entre os criadores de animais.

Para o secretário municipal de agricultura, Geraldo Almeida, o estímulo aos criadores e empresários do agronegócio também faz parte da evolução do evento, com pleitos de melhorias trazidas ao espaço onde é tradicionalmente realizada a feira. “Desde o ano passado o parque tem passado por melhorias que já o coloca como um dos mais bem aparelhados do estado. É um dos poucos parques de exposições que têm capacidade para a realização de leilões simultâneos e que permite também a realização de dois julgamentos concomitantemente, por dispor de dois redondéis. Os equipamentos extras foram construídos pela atual gestão”, afirmou.

A previsão é de que 650 animais passem pelo local durante os dias de evento e a Secretaria de Agricultura (SEMAG) informou que as inscrições para a exposição agropecuária estão encerradas.

O gado Girolando deve ocupar 151 argolas e o Gir leiteiro, 50. Nos currais, estarão 145 cabeças de Nelore e algumas matrizes de Girolando. No campo dos equídeos, estão reservadas 110 baias para cavalos da raça Campolina e 19 para o Manga Larga Marchador, que estreia a participação na Expo Alagoinhas este ano. Também estarão na feira representantes de gado Senepol.

Em leilões, a estimativa da Secretaria de Agricultura é de que os negócios das raças Girolando e Gir Leiteiro registrem uma evolução de 50%, com mais de R$ 600 mil movimentados. Para os cavalos Campolina, a SEMAG prevê um aumento de 30% em negociações, com um montante de R$ 500 mil em vendas, sem contar a raça Pampa e o gado Nelore.

O número de expositores inscritos também cresceu este ano, com um aumento de 30% no número de participantes. Em 2017, foram 68 representantes registrados e, este ano, a organização confirmou 89 expositores.

A expectativa de vendas dentro do parque, para os 4 dias de evento, está em torno de R$2,5 milhões de reais, incluindo os leilões.

Deixe uma resposta