ACONTECE NA CÂMARA – Estragos causados pelas fortes chuvas, foi tema de debate entre os vereadores

Publicidade 2

Na sessão ordinária realizada na Câmara Municipal de Alagoinhas na última terça-feira (23), foi lido o projeto de lei nº 47/18 de autoria do vereador Ozeas Menezes, que considera de utilidade pública a Associação Comercial e Industrial de Alagoinhas. Na oportunidade foi encaminhado à mesa diretora e lido o ofício nº 70/18, de autoria do vereador Jorge da Farinha, constando o seu pedido de renúncia à liderança do governo na Casa Legislativa.

O Sr. Davi Ferreira, representante da Associação dos Trabalhadores da Comunidade do Campo de Buracica (ASTRACAMBA), usou a tribuna popular para falar sobre empregabilidade e dificuldades encontradas pelos trabalhadores de Alagoinhas para conquistar uma vaga nas empresas, discorrendo sobre situações enfrentadas pelos mesmos, e sugerindo a formação de uma comissão para comparecer, entre outras empresas, à Construtora Jotanunes e à Heineken.

A professora Ieda Fátima, junto à alguns moradores da Inocoop I e II, compareceram à Casa Legislativa para falar sobre as dificuldades que têm enfrentado em decorrência das fortes chuvas que ocorreram no final de semana.

A professora também utilizou o espaço da tribuna popular: “Hoje eu estou aqui numa situação peculiar. Eu estou aqui na condição de professora para fazer a denúncia e ao mesmo tempo conclamar os vereadores dessa instituição, que são os verdadeiros representantes do povo, para que nos auxilie e também nos dê apoio porque nós estamos sofrendo. O problema da Inocoop I, Rua A e Rua B é um problema sério que todo mundo conhece e que agora o mundo todo conhece porque demos visibilidade à esse problema”, destacando ainda: “Amanhã vamos entregar um documento ao Ministério Público!”, e complementando: “Nós hoje somos vítimas não das questões naturais porque a chuva é um processo natural e muito belo, mas somos vítimas da irresponsabilidade dessa gestão municipal que está aí e que nos fez de bestas durante um ano”.

Sobre a situação acima, o vereador Luciano Sérgio destacou: “O problema é muito grave! Mexe com a estrutura pessoal, emocional e financeira. Isso cria uma série de processos que inclusive coloca sob risco de vida as famílias, porque as vezes a pessoa passa na Inocoop, vê uma casa classe média mais ou menos organizada e não imagina que a leptospirose alcance lá, não imagina que por conta do tempo que essa comunidade vem sofrendo pode ter abalado a infraestrutura da residência, e o que a gente percebe ao longo desse tempo é que as pessoas se preocupam mais em colocar o carimbo da culpa em A, B ou C do que enfrentar o problema…Não tem nada pior do que não fazer nada. O pior cenário nesse quadro de infraestrutura da cidade é não fazer nada!”.

A próxima sessão ordinária será realizada no dia 25 de outubro (quinta-feira) às 15h.

Ascom – Câmara Municipal de Alagoinhas

Deixe uma resposta