‘Doença misteriosa’ se espalha na Bahia; Moradores relatam manchas vermelhas e coceiras pelo corpo

Publicidade 2
Imagens de moradores do condomínio em Patamares, com manchas pelo corpo (Foto: Reprodução)

Moradores de Cajazeiras, Canabrava, Canela, Dom Avelar, Fazenda Grande, Jardim das Margaridas, Pau da Lima e São Marcos, além de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana, também manifestaram sintomas de manchas vermelhas e coceira pelo corpo – mesmo quadro que afetou ao menos 32 moradores de um condomínio em Patamares. A relação dos bairros, onde moram 11 pessoas acometidas pela ‘doença misteriosa’, foi divulgada ontem pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesab). Os pacientes foram atendidos no Hospital São Rafael. 

Além disso, há relato de mais um novo caso em um condomínio de alto padrão da capital, na Avenida Paralela, mesma região de Patamares. “Os sintomas começaram há cerca de duas semanas. As marcas não eram tão grandes como em algumas fotos que vi. No meu caso, foi mais espalhado pelo corpo todo”, contou a engenheira Adriana Brito, por telefone. A doença é investigada por uma força tarefa comandada pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS), ao lado do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) na Bahia, e do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

Após perceber os sintomas, ela foi até um clínico-geral, que diagnosticou que ela tinha uma espécie de urticária – irritação na pele que pode ser causada por diversos fatores como alimentação inadequada ou estresse. Foi receitado que ela tomasse antialérgicos e cortisona, diminuindo  um pouco a vermelhidão durante a primeira semana, segundo Adriana. Depois disso, ela interrompeu a medicação.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), uma força-tarefa foi montada na região para investigar os casos. Médicos infectologistas foram deslocados para o condomínio de Patamares, onde estão avaliando o quadro de saúde dos pacientes afetados pela doença.

Além disso, técnicos do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) atuam através da montagem de armadilhas para capturar possíveis transmissores da doença. Após realizar a captura dos insetos suspeitos, o Centro atua em conjunto com a Fiocruz, que designa pesquisadores para analisar todas as amostras.
 
A Fiocruz afirmou ontem não ter recebido nenhuma amostra dos animais capturados para análise e que o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) do município é quem está fazendo o estudo dos animais apreendidos.

Sintomas
Os sintomas são bem aparentes: manchas vermelhas pelo corpo, principalmente braços e pernas, e muita coceira que duram entre cinco e seis dias. Foi o que sentiram 32 moradores de um mesmo condomínio em Patamares. Ao todo, o conjunto habitacional, que tem 18 torres, reúne 1.622 apartamentos e uma área verde de 305 mil m² dentro da própria estrutura, que fica ao lado do Parque Metropolitano de Pituaçu, um dos principais pontos da cidade com remanescentes de Mata Atlântica.

De acordo com a coordenadora do Cievs, Cristiane Cardozo, a principal suspeita é que os sintomas da coceira misteriosa sejam causados por picadas de algum inseto ainda não identificado. “São características de picadas de insetos. Nós já descartamos a hipótese de arbovírus, a exemplo de zika e chikungunya”, explicou ela.

Fonte: Correio 24h

Deixe uma resposta