Mulheres assistidas pelo CRAM participam de Festa da Primavera

Publicidade 2

CRAMFoi em clima de muita harmonia e descontração que as assistidas pelo Centro de Referência de Atendimento à Mulher(CRAM), foram recepcionadas, na tarde do último dia 21, para a Festa da Primavera: Valorização da Vida. O evento promovido pela Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS), por meio do Centro, levou um momentos de meditação e palestra sobre o Setembro Amarelo,  campanha mundial de prevenção ao suicídio.

“Foi um encontro muito importante porque além de trazer a temática do setembro amarelo,  proporcionou um momento de socialização e integração das assistidas do CRAM. Nosso objetivo é melhorar a convivência entre elas e fortalecê-las com a programação ofertada nesses eventos. São momentos como esses, que inserem o trabalho desenvolvido pelo CRAM também em momentos de diálogo e descontração”, destacou a coordenadora Fátima Carvalho.

Instituição que integra a rede de proteção dos direitos das mulheres no município, é no CRAM que elas recebem os recursos que precisam para o seu empoderamento e conseguirem, de fato,  romper o ciclo de violência doméstica. Desde o início do ano até o mês de Agosto, mais de 520 mulheres já passaram pelo Centro, que oferta trabalho assistencial, jurídico , psicológico individual e em grupo, oficinas e palestras.

Uma das participantes da festa, D.M., que tem 34 anos e uma filha pequena, conta que inicialmente procurou o CRAM para tratar problemas gerados por stress, mas que depois, passou a sofrer violência doméstica pelo então companheiro  e pai da sua filha. ” Precisei morar na Casa de Acolhimento por um mês com minha filha, onde tive uma recepção maravilhosa e apoio psicológico desde o resgate pelas guardas da Patrulha Maria da Penha. Lá, minha filha tinha atividades, nós cuidávamos da casa como se fosse nossa”, relata. Hoje, com apoio da rede de proteção, D. M. mora numa casa alugada com a mãe, com que divide os cuidados com a filha para que possa trabalhar, e frequenta o CRAM quinzenalmente para atendimento terapêutico em grupo.”O atendimento psicológico da Dra. Rhanne Paula me ajudou a descobrir o significado de violência doméstica,  porque até então eu não sabia que ser xingada e humilhada pelo meu marido também era um tipo de violência doméstica. Estou me sentindo muito mais forte e feliz com essa convivência com a equipe do CRAM, com a participação nas atividades. Aqui nós fazemos amigas, ajudamos umas às outras e eu só tenho a agradecer”,  afirma.

O CRAM está situado à 4º Travessa Parque São Benedito, nº 17, Jardim Petrolar. O horário de funcionamento é das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Informações: 3422 4545

Deixe uma resposta