Alagoinhas – Moradores dos Conjuntos Habitacionais estão participando da elaboração do Projeto do Trabalho Social(PTS)

Publicidade 2
Ao assumir a Pasta, Jaqueline e sua equipe reconstruíram todos os projetos

O Projeto de Trabalho Social (PTS) é o documento que sistematiza a proposta de trabalho junto aos beneficiários do Programa Minha Casa Minha Vida que deveria ser iniciado junto à construção de todos os conjuntos habitacionais entregues pelo Programa Minha Casa Minha Vida no município. Conversamos com a coordenadora de Habitação, Jaqueline Braz, para compreender toda a movimentação realizada para recuperar o Convênio vigente desdo ano de 2009 com a Caixa Econômica Federal.
Jaqueline Braz é Assistente Social e possui Certificação Técnica na Elaboração e Composição de Projetos Sociais, assumiu a pasta desde o início da nossa gestão, e nos explicou da importância do Projeto para fortalecimento e conscientização social e coletiva dos cidadãos contemplados. “Logo que assumi a pasta, sinalizei a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil que o PTS encontrava sem elaboração e era o interesse da gestão atual garantir o exercício da cidadania e os direitos sociais”, explicou a coordenadora.


Seriam perdidos através dos projetos sociais mais de R$ 3 milhões de reais.


Por conta dos erros contidos no Projeto houve a necessidade de reformular com urgência, além da importância de caminhar junto a Associação dos Moradores para de fato compreender seus anseios reais. “Construímos o projeto do zero, ouvindo a comunidade é um processo inédito na Gestão Municipal. Encontramos seis empreendimentos que não foram nem elaborados, nem executados. O objetivo é ampliar o conhecimento das famílias contempladas no Programa Minha Casa Minha Vida”, pontuou ela.

Foram realizados momento de ouvir os anseios reais da população.
Durante o processo de construção do projeto, a Equipe percebeu o desinteresse da antiga gestão pela realização das ações voltadas para os moradores dos residenciais. “O que percebemos foi o desinteresse da gestão anterior de trabalhar o social nos condomínios do programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), seriam perdidos através dos projetos sociais mais de R$ 3 milhões de reais. Por sorte encontramos os convênios vigentes para execução nos conjuntos”, afirmou ela.


Ninguém os convidou para participar da elaboração do antigo projeto e das atividades e ações compostas ali


Durante meses houve momentos de discussão com os moradores e suas associações, a fim de construir um projeto que contemplasse a realidade e as necessidades dos beneficiários do programa. “Convidamos a Associação do Urupiara, apresentamos o antigo Projeto na íntegra, o principal questionamento dos moradores foi que não houve um momento de ouvir as necessidades primordiais da comunidade”, explicou à coordenadora, que também nos informou que durante a apresentação surgiram vários questionamentos da comunidade. “Ninguém os convidou para participar da elaboração do antigo projeto e das atividades e ações, segundo os moradores nada contemplava suas necessidades reais e os anseios da comunidade. Não houve qualquer preocupação em ouvir e trazê-los para construir o Projeto Social junto”, completou.


Ouvimos a Associação do Urupiara, fortalecemos os laços, e a partir dessa escuta construímos um Novo Projeto


O residencial Linha Verde também será contemplado com um Projeto do Trabalho Social.

Nosso Secretário Alfredinho Menezes junto a Jaqueline e sua equipe, decidiram por fazer o caminho contrário, buscando ouvir as necessidades da população do Empreendimento Urupiara. “Ouvimos a Associação do Urupiara, fortalecemos os laços, e a partir dessa escuta construímos um Novo Projeto, que está aprovado e agora aguardando o processo de licitação. Nossa gestão tem buscado construir os melhores caminhos para se aproximar da população, elaborando projetos que promovem a cidadania plena, buscando o não assistencialismo e executando a política publica de Assistência Social e habitacional, de fato”, finalizou Braz.
O projeto, entregue ainda este ano, beneficiará aproximadamente 5 mil moradores do Residencial Urupiara através do convênio firmado e aprovado entre Prefeitura Municipal de Alagoinhas e o Banco do Brasil com mais de R$ 1 milhão de reais.

Por Mannoel Rosa – DRT 2113

Deixe uma resposta