Saiba o que fazer para não perder seu benefício no INSS

Publicidade 2
Foto: Guito Moreto / Agência O Globo

Cerca de 36.407 baianos correm o risco de perder seus benefícios, por não terem realizado a prova de vida há mais de um ano. O INSS explica que como esse ano o número de pessoas que faltaram a prova de vida foi muito grande – mais de 2,4 milhões em todo Brasil -, os cortes deverão ser feitos gradualmente e já vêm sendo feitos desde o dia 28 de fevereiro deste ano. O órgão estima ainda que todos os cortes deverão ser feito até o início da próxima prova de vida, ainda sem data, mas que normalmente acontece em novembro.

Para saber se você é uma dessas pessoas que precisam comparecer para fazer a prova de vida, basta checar o extrato de saque do benefício. Geralmente no documento há uma mensagem que instrui o beneficiário a procurar sua agência para regularizar a situação. É possível ainda consultar no site do INSS. Basta clicar na aba “Meu INSS”, então clicar em extrato previdenciário (CNIS), fazer o login no site e ver se a mensagem aparece para você.

Se você é uma dessas pessoas que teve o benefício bloqueado, ou ainda pode ter não é preciso desespero. O INSS recomenda que o primeiro passo a ser feito é ir, o quanto antes, à sua agência do banco em que recebe o benefício para regularizar a situação e reativar o pagamento. Uma vez suspenso, se a situação não for regularizada em 3 meses, o benefício é cessado de uma vez e não haverá formas de recuperar.

O procedimento de Comprovação de Vida é realizado anualmente por toda pessoa que recebe benefício do INSS.
É importante também estar de olho na data que é estabelecida pela Instituição Financeira (banco pagador) para Comprovação de Vida. Alguns bancos utilizam a data do aniversário do beneficiário, outros utilizam a data de aniversário do benefício, e ainda há aqueles que convocam o beneficiário um mês antes do vencimento da última Comprovação de Vida realizada.

O procedimento

A Comprovação de Vida é um procedimento obrigatório que tem como principal objetivo a dar mais segurança ao cidadão e ao Estado brasileiro, porque evita o pagamento indevido do benefício.

Só no ano passado, 112.729 benefícios foram suspensos/cessados, o que gerou uma uma economia de R$ 1,2 bilhões de reais.

Fonte: Correio 24h

Deixe uma resposta