Prefeito Joaquim Neto prestigia posses das novas diretorias da AUTRMAA e da FENACAB/Alagoinhas

Publicidade 2

O prefeito Joaquim Neto, prestigiou, na manhã desta sexta-feira (24), as posses das novas diretorias da Associação dos Terreiros de Matriz Africana de Alagoinhas (AUTRMAA) e da Federação Nacional do Culto Afro-Brasileiro (FENACAB/Alagoinhas). A solenidade ocorreu no Salão Verde da Prefeitura e contou com as presenças da vice-prefeita e secretária de Cultura, Esporte e Turismo (SECET), Iraci Gama, do secretário de Desenvolvimento e Meio Ambiente, Edésio Cardoso, de Saúde , Moacir Lira, do vereador Luciano Almeida, e de representantes da FENACAB de Salvador e de Feira de Santana, do Conselho Municipal Afrodescendente e de terreiros de Candomblé do município.

Fundada há mais de dez anos, a FENACAB/Alagoinhas empossou a mãe de santo Jaciara Santos de Jesus, que está à frente de duas casas religiosas na cidade. “É muito importante a atuação da entidade no trabalho de reforçar a nossa religiosidade em todas as partes, combatendo o preconceito e resgatando a nossa cultura, através de diversas atividades que valorizam os povos de matriz africana “, afirmou.

“Apesar de toda resistência, preconceito e discriminação, nossa religião e nossa cultura estão vivas, e esta é a nossa luta diária, mantê-las vivas. Em Alagoinhas, podemos afirmar que estamos avançando nestas questões e isso se deve muito ao papel da gestão, que se mostra sensível à causa e vem lutando junto com as entidades”, enfatizou o novo presidente da AUTRMAA, Luiz Cezar

A riqueza e a diversidade observadas nas religiões de matriz africana, que representam inúmeras nações e diversas culturas, foram destacadas pela vice-prefeita Iraci Gama, ao saudar a mesa e os convidados que ocuparam o Salão Verde. ” A intolerância religiosa é dirigida principalmente aos praticantes da Umbanda, Candomblé, apesar de representarem a legítima expressão que tanto nos influenciou e enriqueceu a nossa cultura”, afirmou.

“Estamos empenhados na construção de um diálogo constante e na implementação de políticas públicas voltadas aos povos de terreiros e de matriz africana, dando a nossa contribuição para fortalecimento da cultura brasileira, da valorização dos espaços como fomentadores de cultura, de desenvolvimento e para o combate à intolerância religiosa, o que acredito que seja obrigação de todos os gestores”, afirmou o prefeito Joaquim Neto.

Avanços

Em 11 de julho deste ano, em um dia histórico e emocionante para o município, o prefeito Joaquim Neto assinou quatro decretos que lançam o Programa Terreiro Legal, o reconhecimento e cadastramento das baianas de acarajé, mingau e vendedoras de beiju, o reconhecimento dos templos das religiões de matriz africana existentes no município como organizações religiosas para fins jurídicos administrativos e sociais, passando a ter os mesmo benefícios sociais e tributários de outras religiões, como isenção de impostos e captação de recursos públicos, e a regulamentação da indumentária das baianas de acarajé, que terão de seguir as tradições para o uso de vestimenta e para montar o tabuleiro.

Por meio do Programa Terreiro Legal, os Povos e Comunidades de Terreiros terão mais facilidade para fazer regularização fundiária e se organizar como instituições jurídicas. O decreto engloba povos e comunidades como Unzon, Mansu, Centros de Umbanda, Centros de Caboclo, de Ilê Axé e outros. A Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo(SECET), em parceria com a Diretoria de Reparação irá organizar um banco de dados com o registro das comunidades que existem em Alagoinhas.

Deixe uma resposta