Prefeitura promove capacitação sobre conceitos e atribuições relacionadas ao Sistema Integrado de Gestão e Auditoria (SIGA)

Publicidade 2

Pode parecer burocrático para quem não trabalha com dados, sistemas e procedimentos de auditoria, mas, para garantir a regularidade de atividades referentes à gestão e a transparência das ações, em cumprimento com os exercícios das atividades fiscalizatórias, as prefeituras, câmaras e autarquias precisam registrar seus dados pelo Sistema Integrado de Gestão e Auditoria, que opera na competência do Tribunal de Contas.

O SIGA – como é chamado – tem resolução própria, com prazos específicos para municípios. A falta de cumprimento a essas medidas pode gerar multas para o gestor e, em casos mais graves, até a rejeição da conta.

Foi buscando atender à necessidade de inserção de dados completos no sistema e de compartilhar o diagnóstico com os servidores públicos do município, que a Prefeitura, através da Controladoria Municipal (COGER), realizou, nesta quarta-feira (15), uma capacitação do SIGA, sobre conceitos e atribuições relacionados ao sistema.

A atividade contou com a participação de funcionários da prefeitura, de controladores convidados e de consultores, que contribuíram para o diálogo e para as indicações técnicas.

“Na verdade, a intenção desse encontro hoje foi compartilhar o diagnóstico com os servidores e convidados. Como a gente tratou aqui, a falta de conhecimento do manual como um todo ou simplesmente não inserir dados que não são taxados como obrigatórios dentro do SIGA podem ocasionar notificações mensais e anuais que podemos evitar. Também tivemos a intenção de aproximar o servidor para que ele se envolva e saiba que pode contar com o controle interno, com total apoio para sanar as pendências”, explicou a controladora geral do município, Leila Carla Vila Flor.

Para Marcelo Lopes dos Santos, do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), que participou da capacitação, a iniciativa trouxe respostas importantes no que tange à plataforma. “A gente tem contato diário com o SIGA e surgem muitas dúvidas, muitas perguntas. Viemos aqui buscar soluções para estes problemas e, de certa forma, dinamizar o nosso trabalho na autarquia”, pontuou.

Segundo ele, o destaque foi a videoconferência realizada durante a tarde, entre a COGER e o Tribunal de Contas. “A participação interativa do pessoal do Tribunal foi um destaque, porque ele trouxe, na prática, como a gente deve trabalhar, como a gente deve proceder. Foi muito elucidativo”, elencou o servidor.

O intuito, de acordo com a controladora geral, é que essa aproximação gere um impacto positivo no momento em que os servidores forem inserir os dados no SIGA.

Denis Tadeu dos Santos, controlador interno da prefeitura de Paripiringa, participou como convidado e avaliou positivamente a iniciativa. “A atividade de hoje faz com que a gente tenha a Controladoria de Alagoinhas como referência. Nós buscamos assimilar, entender a dinâmica, o dia a dia, o modo como se dá o processo que muitas vezes é inédito para uma cidade pequena, do interior. Aproveitamos para ampliar esse leque de contatos. Percebemos a importância de, cada vez mais, nos relacionarmos para compartilhar experiências e conhecimentos”, afirmou.

A COGER informou que deve promover novos encontros e comunicou que já tem um calendário de capacitações planejado até o final de dezembro. A próxima palestra, que terá como tema “Termos de Referência”, será ministrada no dia 22 de agosto.

Deixe uma resposta