Pioneirismo: Alagoinhas é um dos 6 municípios do Brasil contemplados pelo programa Nova Escola

Publicidade 2
SEDUC – Projeto Nova Escola / Fotos: Roberto Fonseca

Quem pensa que matemática, sala de aula e método de ensino fazem parte de um conjunto de regras engessadas, não atraentes e difíceis de trabalhar com os alunos pode até ter tido uma experiência negativa com a disciplina no ambiente escolar, mas ainda não teve contato com o programa colaborativo que utiliza a inovação, a prática pedagógica, o plano de aula e o compartilhamento como formas de impactar positivamente o processo de ensino-aprendizagem.

É com foco na construção de uma rede colaborativa, que produza conteúdos de qualidade para os educadores brasileiros, de modo a garantir a aprendizagem de todos os estudantes, que a Associação Nova Escola tem convidado profissionais das Secretarias de Educação com redes de Educação Infantil e Ensino Fundamental para participar do programa. O objetivo principal da iniciativa é promover o desenvolvimento através da aplicação de planos de aula produzidos e revisados por professores experientes de todo o país.

No Brasil, apenas 6 cidades foram contempladas inicialmente pelo programa. Despontando como parte de mais uma iniciativa pioneira, Alagoinhas foi um dos 2 municípios baianos a contar com a implantação desses planos de aula, ao lado de Andaraí – entre os 417 municípios do estado.

“Esses planos são feitos por professores, esse é o diferencial. Elaborados por quem entende da realidade da sala de aula. Eles contemplam do 1° ao 9° ano e estão alinhados à base nacional comum curricular. Hoje a formação é para o uso de planos de aulas de matemática”, explicou Daiana Gonzalo, de São Paulo, que veio à cidade para ministrar uma atividade a coordenadores da rede municipal.

Segundo Keite Lima, coordenadora pedagógica da Secretaria de Educação, embora não esteja sendo desenvolvido em todas as unidades de ensino de Alagoinhas, o Nova Escola tem trazido outras perspectivas para os professores. “Com essa avaliação, a Nova Escola está vendo se os planos acontecem efetivamente em sala de aula, se os planos impactam no processo de aprendizado dos estudantes”, pontuou.

No município, 29 unidades escolares estão sendo beneficiadas pelo programa. Na manhã desta quarta-feira (15), as facilitadoras se reuniram com coordenadores e diretores de 10 escolas para tratar sobre o uso pedagógico dos planos, a forma de elaboração e os conceitos de matemática que servem de base para esses planos.

“A ideia é que os coordenadores repliquem depois dentro da escola essa oficina que eles vão fazer aqui hoje. E esses planos são pensados em um formato para desenvolver a mentalidade matemática do aluno. Não é mais só uma sequência de exercícios para o aluno resolver de forma automática. É para trazer um novo pensamento em relação à matemática, porque muitos alunos relatam que não gostam da disciplina, que matemática é difícil. Todo plano de aula estimula esse raciocínio. Ele é muito focado no processo e não apenas no resultado”, afirmou Gonzalo.

Como o intuito da medida é promover para o aprimoramento dos planos de aula com base no que existe hoje de mais dinâmico e interativo, levando a inovação para dentro da sala de aula, as unidades de ensino de Alagoinhas também foram contempladas pelo programa com a doação de um kit tecnológico contendo 3 Chromebooks, 1 data show, mouse e cabo HDMI para cada escola participante do programa.

Foto: Roberto Fonseca/SECOM

São 29 unidades que recebem, a partir de agora, ferramentas que devem ajudar a incorporar a tecnologia às práticas pedagógicas.

Para o secretário de educação Fabrício Faro, é mais um avanço da gestão pública municipal, que sai na frente quando o assunto é proporcionar, aos estudantes da rede, acesso à educação de qualidade. “São ganhos para a aprendizagem dos nossos alunos. Sabemos que é importante reconhecer o trabalho dos grandes incentivadores do nosso país. Só temos a agradecer pela parceria com organizações renomadas que contribuem com os nossos professores. Estamos entre os 6 municípios do país a contar com o programa Nova Escola. E sabemos também que isso faz parte do investimento em tecnologia, do empenho e do trabalho da gestão, porque se não tivéssemos hoje monitoramento eletrônico nas unidades, por exemplo, isso que está acontecendo aqui hoje não seria possível. Temos trabalhado com empenho junto à rede municipal e gostaria de dizer à Nova Escola que vamos, cada vez mais, nos empenhar para que as devolutivas dessa parceria sejam positivas”, enfatizou.

O encerramento das atividades do programa está previsto para outubro deste ano. A Associação Nova Escola, que promove a iniciativa, conta com a Fundação Lemann e com o Google.org, braço filantrópico do Google Brasil, para criar a plataforma digital que disponibilizará planos de aula aos professores, e Alagoinhas segue como um dos espaços em que o programa tem se desenvolvido. “É um grande avanço e nossa meta é buscar sempre parcerias que possam agregar em conhecimento. Vamos fazer ainda mais”, finalizou o secretário Fabrício Faro.

Deixe uma resposta