Mortes violentas têm queda de 6,8% na Bahia no primeiro semestre

Publicidade 2

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) da Bahia fechou o primeiro semestre com uma redução de mortes violentas (-6,8%), acima da meta de -6% estipulada pelo programa Pacto Pela Vida, que tem como objetivo reduzir os crimes contra a vida no estado.

Outros indicadores criminais e de produtividade também foram apresentados para a imprensa, na manhã desta quarta-feira (1º), pelo titular da SSP, secretário Maurício Teles Barbosa. Entre os destaques estão o recuo no número de ataques contra bancos, além da redução nos crimes contra a mulher, incluindo casos de feminicídio (ver mais abaixo)

Entre janeiro e junho de 2018, os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), que englobam homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte, diminuíram 6,8% em todo o estado, na comparação com o primeiro semestre de 2017. O índice corresponde a 224 vidas preservadas. Foram 3.073 casos nos primeiros seis meses de 2018, contra 3.297 na primeira metade do ano passado.

Separando os dados pelas macrorregiões, Salvador teve queda de 12,4%, com 603 registros este ano contra 688 em 2017. Na Região Metropolitana (RMS), o decréscimo foi de 12,9%, com 371 casos, contra 426. Por último, no interior, o número caiu 3,8%, com 2.099 ocorrências, contra 2.183.

“Vamos focar na atuação maciça em cima da parte financeira dessas organizações, tentando bloquear a comprar de novas armas e drogas”, completou o secretário.

Entre os principais alvos da SSP neutralizados no primeiro semestre estão alguns traficantes presos fora do estado. Entre eles, Cléber Santos da Silva, o Keu, e Edson Silva de Santana, o Jegue, líderes de um braço da facção criminosa Bonde do Maluco (BDM), que foram presos em um apartamento de luxo em São Paulo (SP); Thiago de Freitas Rodrigues, o Penteado, procurado por tráfico de drogas e homicídio na região de Itabuna, foi preso em São Bernardo do Campo(SP); e João Cleison Mota Carvalho, o Didi, também procurado por tráfico, que acabou preso em Maceió (AL). 

Outro alvo prioritário da SSP que saiu de circulação foi Ednelson Nascimento da Conceição, conhecido como Mágico ou Terror do Subúrbio. Apontado como responsável por mais de 30 assassinatos, ele foi morto em confronto com a polícia em Camaçari, na RMS, onde estava escondido.

Violência contra a mulher
Em Salvador e RMS, os feminicídios tiveram queda de 55,5%, com 4 casos em 2018, contra 9 no ano passado. As ameaças também reduziram, no mesmo período. A polícia contabilizou 4.578 registros, contra 5.043 no primeiro semestre de 2017. Os dados do interior ainda não estão consolidados.

O trabalho da Operação Ronda Maria da Penha, unidade que acompanha mulheres com medidas protetivas, fechou o semestre com 30 agressores presos, 594 vítimas acompanhadas e 2.312 ações de fiscalizações das medidas.

Bancos, carros e ônibus
Pelo terceiro ano consecutivo, a Bahia registrou queda nos ataques a instituições financeiras. No semestre foram 38 casos, contra 47 do mesmo período de 2017, resultando na diminuição de 19,1%.

O índice de roubo de veículos se manteve praticamente estável, com aumento de 1,8%. São 2.949 ocorrências em 2018, contra 2.898 no ano passado.

Os números de roubos a coletivos, por sua vez, fecharam os seis primeiros meses com redução de 37,9%. Foram 587 casos a menos. Este ano, a polícia contabilizou 963 ações criminosas, contra 1.550 nos primeiros seis meses de 2017.

Produtividade
A polícia baiana prendeu em flagrante ou cumprindo mandado 63 criminosos por dia no primeiro semestre. Foram 11.632 flagrados por práticas criminosas (média de 63 prisões por dia). Já no quesito ‘adolescentes infratores’ apreendidos, a média diária ficou em 10. No total, foram 1.654 autuações, a maioria por tráfico.

Passando para armas apreendidas, foram 4.057 no período, aproximadamente 23 unidades por dia. No que diz respeito a entorpecentes, a polícia retirou das ruas 15 toneladas de maconha, cocaína e crack, dando uma média diária de apreensões de substâncias ilícitas de 83 kg.

Com relação ao trabalho preventivo, 7 milhões de pessoas foram abordadas, 3 milhões de veículos foram revistados e pouco mais de 73 mil táxis parados em blitze.

Novas unidades
Nos primeiros seis meses deste ano, 13 novas estruturas foram entregues para as polícias Militar, Civil, Técnica, além do Corpo de Bombeiros.

O serviço do Centro Integrado de Comunicações (Cicom) foi implantado, nas cidades de Santa Maria da Vitória, Teixeira de Freitas e Valença. Municípios de pequeno porte, adjacentes a estes maiores, também foram beneficiados com o atendimento via 190.

As cidades de Jequié, Luís Eduardo Magalhães, Vera Cruz, Teixeira de Freitas, Maragogipe, Camaçari, Amargosa e Barra ganharam Distritos Integrados de Segurança Pública (Diseps).

O serviço da Operação Ronda Maria da Penha avançou chegando aos municípios de Jacobina e Lauro de Freitas. Os Batalhões de Operações Policiais Especiais (Bope) e o Especializado em Policiamento de Eventos (Bepe), além do Comando de Policiamento Especializado (CPE), estão em novas sedes.

Na parte de mobilidade, segundo a SSP, 498 novas viaturas foram entregues para ações preventivas, repressivas, investigativas e de inteligência.

Fonte: Correio 24h

Deixe uma resposta