Cadeia de Alagoinhas terá de transferir presos por superlotação

Publicidade 2

O Ministério Público do estado (MP-BA) informou nesta sexta-feira 20, que a cadeia de Alagoinhas, não poderá mais custodiar presos provisórios em quantidade superior a 38 pessoas, capacidade para a qual foi projetada. Atualmente, estima-se que o local abrigue cerca de 100 detentos da região e cidades vizinhas, o que configura superlotação. 

Segundo o MP,  durante vistorias do Comitê Interinstitucional de Segurança Pública (Cisp), foi constatado que a carceragem se encontra em “péssimas” condições estruturais e sanitárias. Assim, foi concedido ao estado o prazo de 120 dias para realizar obras no local, sendo que, neste período, os presos excedentes devem ser transferidos para outros presídios, com exceção dos de Salvador.

Em junho do ano passado, a Vara de Fazenda Pública já havia determinado a reforma da unidade prisional.

Fonte: A Tarde

Deixe uma resposta