Moradores do conjunto Urupiara participam de capacitação para fabricação de jóias sustentáveis

Publicidade 2

Nesta quinta-feira (6) o secretário de assistência social, Alfredo Menezes e a coordenadora de habitação, Jaqueline Braz, junto a representantes do grupo, da associação de moradores do Urupiara, da RedeCriar, da Proatec participaram de uma reunião com representantes do Banco do Brasil para discutir como incentivar, expor o trabalho e construir parcerias locais para desenvolver o projeto.

Durante esta semana, os moradores do conjunto residencial Urupiara, do programa Minha Casa Minha Vida, em Alagoinhas, participaram de uma capacitação para desenvolver jóias sustentáveis. A partir de produtos como garrafas pets, frascos de plástico de cosméticos e de limpeza, confeccionaram colares, pulseiras, brincos, chaveiros, entre outros materiais, aprenderam a reutilizar e cuidar do meio ambiente.

No total, 20 pessoas foram capacitadas e serão acompanhadas por cinco meses pela RedeCriar e Proatec. Serão realizadas reuniões semanais e busca de parceiros para expor e desenvolver o projeto, já intitulado de Urupiara Jóias Sustentáveis, nome escolhido por eles para promover o grupo. Após os cinco meses, poderão se tornar replicadores.

“O prefeito Joaquim Neto e o nosso secretario, Alfredinho Menezes, abraçaram o projeto, facilitaram sua promoção na nossa cidade”, informou Jaqueline Braz, coordenadora de habitação. “Foi fornecido todo o subsídio para que o Urupiara Joias Sustentáveis fosse efetivado. É mais um avanço de uma Gestão preocupada em fornecer cidadania plena aos moradores do empreendimento e da cidade de Alagoinhas”, completou ela.

A tecnologia social, jóias sustentáveis, foi escolhida em assembleia pelos moradores do condomínio, como parte do projeto Moradia Urbana com Tecnologia Social, que está em sua segunda etapa. Na primeira fase, foi realizado o autorrecenseamento, uma pesquisa aplicada pelos moradores do residencial com os próprios moradores para diagnosticar suas principais demandas e visão sobre a comunidade. Uma das necessidades apontadas foi a construção de uma creche, que já está em fase de construção na região.

Deixe uma resposta