CARTA A SOCIEDADE BRASILEIRA – NOTA DE REPÚDIO DA ANI CONTRA A CENSURA PRÉVIA PARA JORNALISTAS

Publicidade 2

A Associação Nacional e Internacional de Imprensa – ANI entidade que defende repórteres, jornalistas, foto jornalistas, titulares de sites, blogues, editores de publicações eletrônicas, redes sociais e afins, manifesta sua indignação e repúdio a CENSURA aos jornalistas do Grupo Globo.

Seu conteúdo é explicitamente um ato de CENSURA que amordaça e tutela a liberdade de expressão, indo ao extremo de impor o cerceio às publicações em redes sociais, instrumento de livre manifestação de pensamento, exercido pela comunidade universal. Dessa forma sendo inadmissível qualquer restrição as postagens, salvos aquelas em que exceda o limite da informação, e que possa causar dano, a exemplo do fake news, desde que imanada de embasada e justa intervenção legal

Ao estabelecer em documento dirigido aos seus profissionais, a maledicente “diretrizes para o uso de redes sociais”, este colidiu frontalmente com LIBERDADE DE EXPRESSÃO dos jornalistas, impedindo de se manifestarem em redes sociais.

O Grupo Globo da mesma forma que apoiou a ditadura civil-militar de 64, agora com seu documento afronta aos direitos e garantias fundamentais da Constituição Federal da República, no seu artigo 5º, em seus incisos IV, VIII e IX, os quais asseguram à livre manifestação do pensamento. Citando ainda o iluminista.

“Quando não há, entre os homens, Liberdade de Pensamento, não há Liberdade” – Voltaire.

O texto do documento nos remete ao Golpe Militar de 64, com a edição do AI-5, que ceifou a vida de muitos e mutilou milhares de brasileiros, intelectuais, sindicalistas, jornalistas, lesionando a vida social e profissional, se constituindo num ato desumano, que assola o ESTADO DEMOCRÁTICO e de DIREITO.

É inquietante seu texto. Quando trata das publicações e pesquisas nas redes sociais, seus profissionais jornalistas estão proibidos de (…) ”expressar opiniões políticas, promover e apoiar partidos e candidaturas, defender ideologias e tomar partido em questões controversas e polêmicas que estão sendo cobertas jornalisticamente pelo Grupo Globo.”

Os jornalistas, chamados de comentaristas, analistas ou colunistas de opinião, estão sob VIOLENTA CENSURA PRÉVIA. Por isso emitimos aqui o repúdio ao documento.

“O MAL QUE SE FAZ A UM, SE FAZ PARA TODOS”

Rio de Janeiro, 5 de julho de 2018.

Deixe uma resposta