Atendimento no comércio de Alagoinhas é péssimo, dizem consumidores

Publicidade 2

 

Para muitos, ir as compras em Alagoinhas é um exercício de paciência. Estabelecimentos com pouco pessoal, lojas lotadas, produtos em falta e o principal problema: um atendimento péssimo. “Pessoas são mal atendidas simplesmente porque são julgadas pelo modo como estavam vestidas, ou o estabelecimento que não se sentem a altura de determinado clientes. É um descaso com o consumidor. Ouço relatos assim todos os dias, de alunos e amigos”, conta um consumidor.

Recentemente, a dona de casa a Sr. Maria de Fatima viveu uma situação constrangedora em uma loja recentemente inaugurado em Alagoinhas. Ela conta que, ao pedir um determinado calçado, foi simplesmente ignorado pelos atendentes. “Fui atendido da seguinte forma: ‘Olha não temos esse modelo do mostruário, se você quiser, vai ter que esperar’, me disse a atendente, ao voltar na loja e ser atendida por outra vendedora, conseguir comprar o calçado escolhido”, contou a dona de casa.

Uma rápida pesquisa feita pela equipe do Se Liga Alagoinhas, mostrou que são inúmeros os casos de reclamação do atendimento no comércio local. “É um descaso, as pessoas pensam que só porque você está vestido com determinada roupa, de academia, por exemplo, você não tem condições de pagar por determinado produto, ou até mesmo de estar na loja”, contou a fotógrafa Hanna Larissa.

O caso de Hanna não foi diferente. Interessada em fazer uma especialização em informática em uma conceituada escola da cidade, a jovem teve dificuldades para descobrir os horários em que são dadas as aulas – a atendente do estabelecimento não fez a mínima questão de explicar a cliente. “Eu tive que ficar perguntando tudo para ela [a atendente] e ela respondia de forma completamente desinteressada e hostil. Quando pedir para conhecer a estrutura do lugar, nem mesmo convidada para entrar eu fui”, contou em conversa com a equipe.

Redação Se Liga Alagoinhas com contribuição de Hanna Larissa e Maria de Fatima 

 

4 COMENTÁRIOS

  1. Pior e quando alem das vestes somos discriminados pela cor da pele e do cabelo.
    Somos visados como se não tivéssemos condição de comprar e pagar.

  2. Já fiquei caminhando por mais de cinco minutos dentro de alguns estabelecimentos, aguardando atendimento, tenho 1,92m e não foi suficiente para me enxergarem, parecia que eu estava invisível. E diversas vezes que aconteceu isso sai da loja, por cansar de esperar.
    Perdem vendas o tempo todo.
    Será que os comerciantes são tão ignorantes, quanto seus funcionários, que vê isso e não corrige?

    • Infelismente casos como os citados acima são muito comuns,e nos mais variados seguimentos do comercio,e isso prejudica a economia do municipio como um todo, porque muitas vezes precisamos ir a outras cidades em busca de variedade e um bom atendimento deixando o dinheiro que era p circular aqui, em outra cidade .

  3. Nossa como está Alagoinhas inacreditável…Hoje não moro mais em Alagoinhas, moro em São Paulo. Aqui em Sampa quando qualquer pessoa entra em uma loja independente de como esteja vestido ou pelo cor da pessoa vem logo algum atendente nos atender, são muitos atenciosos, eles querem é fazer vc comprar tudo para ter uma boa comissão rsrs.

Deixe uma resposta