Uruguai atropela Rússia e acaba em primeiro lugar em seu grupo

Publicidade 2

 

Foto: Reprodução internet

O Uruguai garantiu a primeiracolocação do Grupo A ao vencer a Rússia, na cidade de Samara, nesta segunda-feira, por 3 a 0, com gols de Suárez, Cheryshev (contra) e Cavani. Com um esquema tático diferente (o técnico Tabárez optou por entrar com três zagueiros) e mudanças no meio campo, o Uruguai soube impor seu estilo de jogo e construiu a vantagem toda no primeiro tempo. A Rússia sentiu os desfalques de Golovin e Zirkhov e, com a expulsão de Smolnikov, ainda no primeiro tempo, ficou mais fácil para a Celeste garantir o resultado positivo e a primeira colocação do grupo.

A Celeste segue batendo recordes na Copa do Mundo. Dessa vez, com a vitória sobre a Rússia, pela primeira vez na história o Uruguai consegue vencer os três jogos da fase de grupos da competição. Outro destaque fica para Luis Suárez, toda vez que o atacante fez gol em partidas de Copas do Mundo, o Uruguai saiu vencedor de campo.

O técnico Óscar Tabárez fez alterações táticas na equipe uruguaia, tanto no meio quanto na defesa. Na parte defensiva, preferiu entrar com três zagueiros, com Coates, Cáceres e Godín. A mudança fez efeito e a defesa uruguaia fez mais uma grande partida. Cáceres, em especial, teve um papel importante. Quando o Uruguai não tinha a posse de bola, o jogador fazia a zaga, mas quando a Celeste atacava, Cáceres virava lateral e ajudava no apoio ofensivo.

O treinador celeste também optou pela entrada do volante Lucas Torreira e do meia DIego Laxalt. O Uruguai soube ocupar os espaços do campo ofensivamente com sua linha de cinco jogadores, fazendo uma marcação alta e criando dificuldades para a Rússia. A entrada de Torreira deu uma segurança defensiva ao meio campo, dando mais liberdade para Laxalt, Vecino e Bentancur. Foi com uma dessas chegadas ao ataque que saiu o primeiro gol da partida. Vecino apareceu bem na entrada da área e sofreu uma falta perigosa. Na cobrança, Luis Suárez bateu rasteiro, no canto do goleiro Akinfeev e abriu o placar.

A Rússia sentiu muita falta do meia Golovin, suspenso por acúmulo de cartões amarelos. Miranchuk não conseguiu dar a mesma consistência e profundidade de seu companheiro de equipe. O Uruguai ocupou com eficiência os espaços do meio campo e a Rússia não soube lidar com suas ausências. Além de Golovin, Zirkhov não entrou na partida por conta de lesão e a defesa russa teve dificuldades na recomposição.

As alterações de Tabárez se demonstraram efetivas. Além de Torreira, com grande partida, Laxalt fez sua primeira partida como titular e não fez feio. Com velocidade e bom porte físico, o jogador agrada por sua polivalência. O meia jogou aberto como um ala e incomodou a zaga russa. O segundo gol uruguaio teve importante participação de Laxalt. O jogador pegou a sobra da defesa, após cobrança de escanteio e chutou forte para o gol. A bola desviou em Cheryshev e enganou o goleiro Akinfeev. Gol contra russo e ponto para Laxalt.

A Rússia, pela primeira vez na competição, ficou atrás do placar. Principalmente após o segundo gol, os russos não conseguiram se concentrar na partida e passaram a errar muitos passes. A anfitriã sentiu os dois gols e sem suas principais peças não conseguiu mostrar as boas atuações anteriores. O domínio uruguaio aumentou após a expulsão de Smolnikov, que com segundo cartão amarelo, deixou a partida após falta em Laxalt.

A Rússia começou a partida como um dos melhores ataques da Copa. Dzyuba e Cheryshev eram motivos de preocupação para o técnico Tabárez. Cheryshev não teve boa partida e sentiu a forte marcação uruguaia. O jogador ainda teve a infelicidade do gol contra e foi o escolhido para deixar a partida após a expulsão de Smolnikov. Dzyuba também não conseguiu impor seu jogo, apesar de, novamente, mostrar bom trabalho de pivô, dominando a maioria das bolas lançadas e mostrando perigo nas jogadas areas

Com um a menos em campo, perdendo por dois gols de diferença e já classificados para a próxima fase, o técnico russo resolveu poupar alguns titulares (Gazinsky e Cheryshev foram substituídos) e a Rússia não conseguiu oferecer mais perigosos para o Uruguai, que saiu de campo vitorioso e confiante para a próxima fase.

Cavani ainda não tinha feito gols nesta Copa do Mundo. O atacante criou oportunidades na partida, mas não conseguia fazer o tento. Os companheiros de equipe procuravam o jogador para que ele pudesse desencantar. O alívio veio aos 45 minutos do segundo tempo. Após cobrança de escanteio, Godín cabeceou, Akinfeev fez grande defesa e no rebote, Cavani deu números finais a partida. O Uruguai vai confiante para a próxima fase.

Uruguai e Rússia voltam aos gramados neste fim de semana, pelas oitavas de final. O Uruguai enfrenta o segundo do Grupo B, neste sábado, ás 15h. em Sochi. Enquanto a Rússia enfrenta o primeiro do Grupo B, neste domingo, em Moscou, ás 11h.

URUGUAI 3 X 0 RÚSSIA

Local: Samara Arena (Samara)

Data-Hora: 25/06/2018 – 11h (de Brasília)

Árbitro: Malang Diedhiou (SEN)

Auxiliares: Djibril Camara e El Hadji Samba (SEN)

Público: 41.970

Cartões amarelo: Smolnikov (aos 27’/1ºT) (RUS); Bentancur (aos 14’/2º) (URU)

Cartões vermelho: Smolnikov (aos 35’/1ºT)

Gols: Suárez (aos 9’/1ºT), Cheryshev (contra, aos 221/1ºT) e Cavani (aos 45’/2ºT) (URU)

Uruguai: Muslera; Coates, Godín e Cáceres; Laxalt, Torreira, Bentancur (De Arrascaeta, aos 17’/2ºT), Vecino e Nandéz (Cristian Rodríguez, aos 27’/2ºT); Suárez e Cavani (Gómez, aos 47’/2ºT). Técnico: Óscar Tabárez

Rússia: Akinfeev; Smolnikov, Kutepov, Ignashevich e Kudryashov; Gazinsky (Kuzyaev, aos 1’/2ºT), Zobnin, Samedov e Miranchuk (Smolov, aos 14’/1ºT); Cheryshev (Mário Fernandes, aos 37’/’ºT) e Dzyuba. Técnico: Stanislav Cherchesov

Marcio Ramos / Jornalista DRT 5202-BA / Conselheiro ABI

Deixe uma resposta