Alemanha vira sobre a Suécia e se mantém viva na copa

Publicidade 2
FOTO: REPRODUÇÃO – FACEBOOK – FIFA

A salvação alemã veio no último chute, aos 50 da etapa final. Kroos, que falhou no gol sueco, marcou o gol da virada por 2 a 1 sobre a Suécia, em jogo com muita emoção e polêmica.

A Suécia reclamou, com razão, de pênalti não marcado, e sem a consulta do VAR. Não fez diferença. No fim, a Alemanha ganhou no abafa, na pressão e na camisa, e com 10 em campo nos minutos finais depois da expulsão de Boateng.

O México fica com a liderança no grupo F após o resultado. A Alemanha tem três pontos, empatada com a Suécia. Os suecos, no entanto, pegam os mexicanos, em jogo duro na terceira rodada. Já os atuais campeões pegam a Coreia do Sul, que ainda não pontuou.

Com Reus, Müller e Werner, a Alemanha entrou em campo com uma formação bastante ofensiva. Jogava a vida na Copa, e sabia disso. A intensidade nos minutos iniciais fez parecer que os campeões mundiais estavam de volta, com tudo. Ledo engano.

Sem praticamente tocar a bola até os 12 minutos, a Suécia deveria ter marcado em seu primeiro contra-ataque. Berg perdeu na cara de Neuer, mas por um motivo claro, que apenas a arbitragem não viu. O atacante foi empurrado por Boateng pelas costas e perdeu o equilíbrio na hora de finalizar.

A Alemanha sobreviveu ao primeiro erro e manteve a pressão, só que agora contra uma Suécia diferente, mais confiante, melhor postada na defesa e para os contra-ataques. A armadilha sueca estava armada, e o time de Joachim Löw caiu nela aos 32 minutos.

Tudo começou em um erro de passe de Kroos. A Suécia roubou a bola, Claesson recebeu na direita e cruzou para Toivonen, que dominou no peito, ganhou de Rudiger no corpo e tocou por cobertura, com muita categoria, na saída de Neuer.

Claesson ainda desperdiçou uma chance clara antes do intervalo em contra-ataque rápido ao tentar um drible a mais na área. Não fosse por isso, e pelo erro de arbitragem, a Suécia poderia ter saído de campo com vantagem de três gols para o segundo tempo.

Sumido no primeiro tempo, Draxler deu lugar para Mario Gómez no intervalo, tornando a Alemanha ainda mais ofensiva. A coragem de Löw, ou o desespero, surtiu logo efeito. Com três minutos, Werner cruzou rasteiro, Gómez passou pela bola sem conseguir completar e, meio sem jeito, Reus empurrou para o fundo da rede.

A Suécia aguentou a pressão inicial sem levar a virada, porém perdeu a força dos contra-ataques. E não foi por falta de oportunidades. Em determinado momento, Kroos voltou a entregar a bola em zona perigosa e os suecos preferiram segurar a bola, dando a impressão de cansaço.

Sem o gol da virada, a situação alemão foi ficando cada vez mais dramática, ainda mais quando Boateng cometeu falta grosseira em Berg e levou o segundo amarelo.

Mesmo com 10, a Alemanha seguiu melhor na partida e pressionando a Suécia. Ainda acertou a trave com Brandt. Mas não parecia ser o dia ou a Copa da seleção alemã. Até que, aos 50 minutos, em falta na quina da área, Kroos rolou para Reus, que parou a bola para o meia do Real Madrid completar bonito, no ângulo.

Marcio Ramos / Jornalista DRT 5202-BA / Conselheiro ABI

Deixe uma resposta