Audiência pública discute violência contra a pessoa idosa

Publicidade 2

Fruto do requerimento nº 23/18, foi realizada no dia 15 de junho (Dia Mundial da conscientização da violência contra a pessoa idosa), na Câmara Municipal de Alagoinhas, uma Audiência Pública que tratou da violência contra a pessoa idosa e dos impactos gerados por essa violência à saúde física e emocional, de autoria do vereador Luciano Sérgio Lula da Silva.

A mesa foi composta, além do vereador autor, por: Maria Regina Silva, presidente, e Ieda Fátima, vice- presidente do Conselho Municipal do Idoso, Maria Riselia Lima e Rosália Rocha, representando o Lions Clube de Alagoinhas, e Havana Matos, Coordenadora da Saúde do Idoso.

Ao iniciar o pronunciamento, o vereador Luciano Sérgio Lula da Silva justificou: “A cada ano a gente tem feito não só o bom combate, mas celebrado os nossos avanços e sinalizado a efetiva necessidade de cuidar das questões relacionadas ao idoso. Nós sabemos exatamente que há uma pirâmide que se inverteu, hoje temos mais idosos do que jovens e infelizmente as políticas públicas, seja no âmbito federal, estadual ou municipal, não atendem a realidade dessa mudança do número de pessoas idosas”.

“Estamos discutindo a violência contra o idoso com o objetivo não de fazer desse encontro um espaço de discursos, porque a gente precisa muito mais do que discurso, precisamos de prática e concretude. Nós tivemos vários avanços: a aprovação do estatuto do idoso é um avanço extremamente importante, é um legado que efetivamente pode melhorar essa realidade”.

Durante o pronunciamento, o presidente Roberto Torres ressaltou: “Todos nós sabemos que a expectativa de vida, graças a Deus, tem aumentado bastante no país. A previsão é que em 2050 um terço da população seja de pessoas acima de 60 anos. A audiência pública tem encaminhamentos, casos têm sido resolvidos. Parabéns ao vereador Luciano Sérgio pela iniciativa, o Conselho Municipal do Idoso e demais agentes deste encontro”.

Na ocasião, a professora Ieda Fátima apresentou uma palestra elucidativa sobre os tipos de violências praticadas contra a pessoa idosa, apontando a importância de identificar sinais das diferentes formas de agressão: física, psicológica/verbal (segunda causa mais comum de violência sobre as pessoas idosas), sexual, negligência e abandono, financeira/econômica e doméstica.

Em entrevista à assessoria, o propositor da audiência falou sobre alguns encaminhamentos, resultado do encontro: criação da delegacia em defesa do idoso (os dados levantados pelo Conselho do Idoso apontam grande crescimento da violência contra o idoso em Alagoinhas), criação de um centro de referência do idoso, proposição para que a secretaria de saúde trate (no consórcio de saúde) a realidade das especialidades e dos exames com prioridade para o idoso (destinar um profissional da área de geriatria para fazer o atendimento e acompanhamento) já que a policlínica oferecerá suporte para a média complexidade, encaminhamento (pela Secretaria de Saúde) do estatuto do idoso para todos os agentes de saúde do município, a fim de auxiliá-los no acompanhamento das famílias quando há algum tipo de violência ou falta de atendimento ao idoso, e ainda transformar o dia 15 de junho no dia municipal do idoso.

E ao final, ressaltou: “Foi uma audiência bastante propositiva, com ampla participação, cerca de 600 pessoas estiveram aqui. Saímos com o coração e a alma lavada por estarmos aqui realizando uma ação e fazendo a nossa parte por quem tanto cuidou da nossa cidade, por quem tanto cuidou dos filhos alagoinhenses e agora que estão idosos precisam não só da referência, do respeito, mas também do nosso cuidado”.

Ascom – Câmara Municipal de Alagoinhas

Foto – Ramon de Carvalho

Deixe uma resposta