Hospital Regional Dantas Bião realiza mais uma captação de órgãos

Publicidade 2

O Hospital Regional Dantas Bião, em Alagoinhas, realizou na quinta-feira (30), mais uma captação de múltiplos órgãos. O doador S. V. A, de 43 ano, teve o diagnóstico de morte encefálica confirmado e, após a realização de todos os testes comprobatórios determinados pela legislação brasileira, e seguidos os requisitos do processo, que incluem a concordância da família do doador, foram captados: córneas, coração para válvula, rins e fígado.

Uma equipe do Sistema Estadual de Transplantes, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), se deslocou para o Hospital Dantas Bião. O procedimento foi coordenado pelo médico Rodrigo Serapião com o auxílio de profissionais da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) da unidade hospitalar.

O enfermeiro Matheus Cerqueira informa que um paciente com diagnóstico de morte encefálica, internado em hospital, é um doador em potencial e, após essa confirmação, o contato e diálogo com a família é crucial. “Levar qualidade de vida para as pessoas é o compromisso assumido por toda equipe do Hospital Dantas Bião e continuamos com o processo de informação e orientação na questão da doação, o que revela o amadurecimento de toda equipe ao processo de doação e captação de órgãos. Sabemos que o momento é difícil e agradecemos à família do doador pela decisão tão nobre que foi tomada”, disse Matheus Cerqueira.

De acordo com dados da Coordenação do Sistema Estadual de Transplantes (Coset), da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), na Bahia, o número de pessoas que resistem a autorizar o transplante de órgãos de parentes ainda é muito alto. De cada 10 famílias baianas, apenas três autorizam o procedimento após o falecimento do parente, enquanto a fila de quem depende deste procedimento tem crescido nos últimos anos.

Seja um doador
No Brasil, para ser um doador os familiares precisam ser informados. São eles que irão autorizar ou não a doação de órgãos após a constatação da morte encefálica. Os interessados em se tornar um doador, devem avisar a família sobre a decisão e pedir que seu desejo seja atendido.

Ascom – IBDAH

Deixe uma resposta