Prefeitura reúne professores da rede pública para discutir o planejamento da educação inclusiva no município

Publicidade 2

A Prefeitura de Alagoinhas, através da Secretaria Municipal de Educação (SEDUC), reuniu, nesta quinta-feira (17), cerca de 80 professores da rede de ensino para discutir e planejar a educação inclusiva no município.

O encontro inédito teve como foco crianças com necessidades especiais e, segundo Rosimeire da Silva Santos, da SEDUC, a preocupação era justamente fazer uma escuta sensível dos professores, já que são eles os profissionais que, dentro da sala de aula, podem contribuir para o desenvolvimento das potencialidades dos estudantes. “Estamos partindo do professor para fazer esse plantio”, pontuou.

A atividade contou com apoio da facilitadora Mariana Moraes Lopes, que destacou a importância de um planejamento educacional individualizado e discorreu sobre a inclusão escolar enquanto direito garantido. “A gente ainda tem uma formação com professor muito precária em relação à inclusão escolar, desde muito tempo até hoje. A gente vê os currículos das universidades ainda bem defasados em relação a isso e, muitas vezes, o professor se sente inseguro, acha que não sabe trabalhar com isso e aqui, hoje, estamos discutindo também possibilidades de como trabalhar com esse aluno na rede”, explicou Mariana Lopes.

Entre os principais desafios do planejamento da educação inclusiva estão, segundo ela, a entrave do preconceito, a falta de preparo das escolas e a dificuldade de articulação da rede de apoio. “Tem-se que investir muito ainda na formação continuada dos professores. Precisamos contextualizar a aprendizagem do aluno junto com a turma sem deixar que ele fique de fora de qualquer tipo de conteúdo, respeitando, claro, a individualidade de cada um”, enfatizou a facilitadora.

Para Rosimeire Santos, que é também presidente do Conselho da Pessoa com Deficiência, a iniciativa é importante para o avanço do município nas discussões sobre inclusão. “A gente precisa ter cautela, sensibilidade, mas a gente não pode deixar de gritar. E lá, dentro da Secretaria de Educação, a minha voz é pelas pessoas com deficiência”, ressaltou.

Ao todo, cerca de 80 professores de 43 unidades escolares participaram da discussão sobre a necessidade de um trabalho que garanta uma educação inclusiva em todas as instâncias municipais, e a SEDUC informou que vai continuar dando a formação e os subsídios necessários para que os professores sejam multiplicadores da ação inclusiva.

Deixe uma resposta