Aeroporto de Salvador melhora nota, mas entre 20 avaliados é só o 14º em índice de satisfação

Publicidade 2
Divulgação

Pela primeira vez desde que a Pesquisa de Satisfação do Passageiro, realizada pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação passou a ser medida, o Aeroporto Internacional de Salvador – Deputado Luiz Eduardo Magalhães conseguiu ultrapassar a meta estipulada pelo órgão. Numa escala de 1 a 5, onde a meta é nota 4, o terminal baiano alcançou nota de 4,2 na satisfação geral do passageiro.

Além disso, em um ano, o terminal teve uma evolução de 11% neste indicador. Em 2016, o terminal foi leiloado pelo governo federal e arrematado pela operadora francesa Vinci Airports, que passou a operar integralmente o aeroporto no início deste ano.

Entre os indicadores mais bem avaliados no terminal estão: tempo de fila no check-in/ autoatendimento (4,35), tempo de fila no check-in/balcão (4,46), velocidade de restituição de bagagens (4,44), integridade da bagagem (4,50), cordialidade dos funcionários da emigração (4,66). 

Algumas categorias ainda receberam notas abaixo da meta estipulada pelo ministério: custo benefício do estacionamento (2,82), disponibilidade e localização de bancos/caixas eletrônicos/casas de câmbio (3,45), limpeza dos sanitários (3,83).

Em termos gerais, o Aeroporto Internacional de Salvador ficou na 14ª posição entre os 20 terminais avaliados pela pesquisa. A primeira posição do ranking ficou divididia pelos aeroportos de Curitiba (PR) e de Campinas (SP), ambos com nota 4,63. Em terceiro lugar ficou o terminal de Confins (MG), com 4,62. Nas últimas posições ficaramos aeroportos de Florianópolis (SC), 20º lugar com nota 3,58; e o de Vitória (ES), com 3,8. `^A exceção destes dois, todos os demais tiveram nota média acima de 4. 

Em nota enviada ao CORREIO,  a Vinci Airports, afirmou que desde que assumiu a gestão do aeroporto de Salvador, em janeiro, vem realizando melhorias que já estão sendo percebidas pelos usuários.

Na semana pasa, a empresa anunciou o início das obras de requalifcação previstas no contrato de concessão. Elas estão orçadas em cerca de R$ 2 bilhões, sendo R$ 700 milhões investidos na primeira etapa, que será concluída no segundo semestre de 2019. Escadas rolantes funcionando, ar-condicionado eficiente, pistas de pouso e decolagem maiores, e mais conforto para os passageiros são algumas das promessas de melhorias para os usuários. ambém haverá uma ampliação do número de o número de fingers (pontes de embarque) do terminal, de 11 para 17 pontos. 

Pesquisa

Nos cinco anos de pesquisa, já foram ouvidos 327.537 passageiros. Enquanto em 2013 eles atribuíam nota 3,86 aos principais terminais brasileiros, no primeiro trimestre de 2018 deram 4,30. Significa que após 20 rodadas trimestrais o índice de satisfação geral teve um crescimento de 14%.

“Os resultados mostram que estamos caminhando para a maturidade e a consolidação da gestão aeroportuária”, avalia o secretário Nacional de Aviação Civil, Dario Lopes, acrescentando que num futuro próximo os terminais do país vão estar no mesmo nível de excelência dos aeroportos europeus e norte-americanos. Ao todo, entre janeiro e março de 2018, foram entrevistadas 19.473 pessoas nos 20 terminais. 

A pesquisa é um referencial para a administração dos aeroportos. Seus resultados incentivam a competitividade entre eles, eleva o paradigma de aprimoramento do atendimento aos passageiros e torna mais transparente a qualidade dos serviços aeroportuários. “Cada ponto percentual significa que a gestão aeroportuária amadureceu”, afirma o secretário.

Os passageiros são ouvidos diariamente por pesquisadores da Praxian – Business & Marketing. O nível de confiança do levantamento é de 95%, com margem de erro de 5%. Os passageiros são ouvidos sobre 38 indicadores que atestam a qualidade (infraestrutura, atendimento, serviços e gestão) dos 20 terminais que movimentam 87% de quem viaja de avião no Brasil.

No último trimestre de 2017, cinco novos aeroportos de capitais foram incluídos na pesquisa: Maceió (AL), Goiânia (GO), Vitória (ES), Belém (PA) e Florianópolis (SC), o que agora representa 87% de cobertura do tráfego de passageiros no país. O Aeroporto de Natal, São Gonçalo do Amarante, construído do zero pelo Consórcio Inframerica, passou a ser avaliado pela pesquisa no 3º semestre de 2014. 

Fonte: Correio 24h

Deixe uma resposta