TST decide que funcionários dos Correios vão pagar pelo plano de saúde

Publicidade 2
Foto: Hélvio Romero/Estadão

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) decidiu nesta segunda-feira que os 106 mil funcionários dos Correios vão passar a pagar um percentual do custo do plano de saúde oferecido pela estatal. O valor da mensalidade será proporcional do salário e varia de 2,5% a 4,4 % sobre os vencimentos brutos. A proposta foi feita pelo ministro Aloysio Correa da Veiga e acatada pelo tribunal.

A decisão do TST foi resultado do impasse nas negociações sobre o dissídio coletivo da categoria. Com isto, a empresa espera reduzir, em médio prazo, um terço as despesas que gasta com o plano de saúde, hoje estimada em R$ 500 milhões por ano. “Demos o primeiro passo para a solução da crise financeira e contábil da companhia”, comemorou o presidente dos Correios, Guilherme Campos.

O TST deu prazo até julho de 2019 para que a empresa e os servidores cheguem a um acordo sobre a manutenção dos pais como dependentes dos funcionários e quem financiará esta despesa. Até lá, os pais continuam dependentes e com direito ao atendimento médico completo. Os cônjuges dependentes dos servidores vão pagar 65% do que paga o titular do plano. O percentual parta filhos menores será de 35% em cima dos salários dos pais.

Os servidores protestaram contra a mudança com uma paralisação parcial das atividades nesta segunda-feira. Segundo a federação dos trabalhadores dos Correios, o pagamento de 100% dos custos do plano pela empresa fazia parte de um acordo para compensar o não reajuste salarial dos últimos anos.

Estadão Conteúdo

Deixe uma resposta