Guilherme Boulos é confirmado pré-candidato à Presidência da República pelo PSOL

Publicidade 2
Foto: Henrique Barreto/Futura Press/Estadão Conteúdo

O presidente do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, foi confirmado neste sábado (10) como candidato à Presidência da República pelo PSOL.

A decisão ocorreu em Conferência Eleitoral do partido na capital paulista, quando Boulos saiu vitorioso com 71% dos votos. Boulos se filiou ao PSOL nesta semana e era o nome mais cotado para a disputa do pleito de 2018 pelo partido.

Internamente, ele concorria com Plínio de Arruda Sampaio Jr, Nildo Ouriques e Hamilton Assis. A indigenista Sônia Guajajara chegou a se inscrever como pré-candidata, mas posteriormente retirou a inscrição para compor a chapa de Boulos na posição de vice. Entre as alianças, foi confirmado o PCB.

Logo após o anúncio, Boulos afirmou que a primeira proposta do partido é convocar um plebiscito para que a população decida se quer revogar ou manter as medidas propostas e implementadas pelo governo do presidente Michel Temer.

“Entendemos que o governo Temer é ilegítimo porque não foi eleito pela população”, disse. Segundo ele, temas como a exploração do pré-sal não podem ser definidos por um governo “ilegítimo”. “Não se pode terceirizar decisões tão importantes, principalmente por um governo não eleito, por isso acreditamos que o povo deve participar dessas decisões”, acrescenta.

Além disso, Boulos destacou que quer o MDB na oposição e descarta qualquer parceria. “Essa candidatura será de combate aos privilégios e contra a desigualdade.

Vamos propor uma reforma tributária justa”, enfatizou o pré-candidato. A recente trajetória do líder do MTST dentro do PSOL foi carregada de polêmicas, principalmente devido ao apoio declarado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em vídeo que foi exibido durante o evento de lançamento da pré-candidatura de Boulos, no último sábado (3).

Lula chegou a dizer que aceitaria Boulos em seu palanque e “seria a última pessoa do mundo a pedir para que Boulos não seja candidato”, fala que desagradou psolistas, dentre eles o concorrente Plínio Jr. que teceu críticas abertamente ao fato. O economista Nildo Ouriques também esteve entre os críticos do atual candidato.

Fonte: Estadão Conteúdo

Deixe uma resposta