New Hit: ‘Dia da Mulher foi só tristeza’, diz vítima de estupro coletivo

Publicidade 2

Era pra ser um dia de comemoração. Afinal, após cinco anos, seria a primeira vez que Maria (nome fictício) poderia celebrar o Dia da Mulher “com uma conquista”, mas a celebração não aconteceu. É que desde terça-feira (6), quando uma das vítimas de estupro de oito ex-integrantes da banda New Hit soube que os seus agressores iam ser soltos, ela perdeu o sossego.

Foi através de uma mensagem de WhatsApp de uma das advogadas do caso que ela recebeu a má notícia de que os oito condenados haviam conseguido habeas corpus no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). Quando leu a mensagem, a jovem custou a acreditar. 

Mesmo estando há apenas um dia nas ruas, a liberdade dos músicos já começou a afetar a rotina da estudante. Esse ano, por exemplo, foi a primeira vez que ela tinha conseguido voltar à escola, desde o crime.

Ela diz que, apesar das dificuldades, vai terminar a escola – aos 22 anos, cursa a 8ª série (9º ano) do ensino fundamental. Seu plano é entrar para a faculdade de Direito e se tornar uma advogada para ajudar mulheres que passam por situações de violência. Na época do crime, Maria tinha 16 anos.

Fonte: Correio 24 horas

Deixe uma resposta