A mulher no mercado de tecnologia; Bahia tem exemplo de sucesso

Publicidade 2
Ana Rita Oliveira

No Brasil, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, apenas 20% dos profissionais que atuam no mercado de tecnologia da informação são mulheres. O número pode ainda ser pequeno, mas já existem exemplos no mercado de trabalho, de mulheres vencedoras que passaram por cima de preconceitos, tabus e avançaram com sucesso. Como fez a soteropolitana Ana Rita Oliveira que teve a coragem de empreender e já teve várias empresas desenvolvedoras de softwares.

Ana enfrenta a realidade de muitas mulheres que tem conquistado cada vez mais seus espaços na sociedade, além de profissional ela é mãe e dona de casa. Mas mesmo em meio a tantas funções, ela nunca deixou o medo, de não conseguir conciliar todas as tarefas domésticas e profissionais, afetar o seu dia a dia.

Ana Rita Oliveira iniciou sua carreira em 1996, após se formar em processamento de dados e passar por uma pós-graduação em desenvolvimento de sistemas. Ela trabalhou por sete anos em empresas de consultoria, e depois de adquirir diversas experiências, abriu sua própria empresa onde começou a desenvolver softwares.

Já morou em várias cidades brasileiras e até em outros países. Uma busca incessante para alcançar conhecimento, experiência e consequentemente sucesso nos seus empreendimentos.

Hoje, além de ter uma empresa que desenvolve softwares Ana embarcou em uma ideia e está à frente de uma startup chamada My Cond. A vontade de solucionar um problema do seu condomínio fez com que a empreendedora embarcasse na criação de um aplicativo que pudesse ser a solução também para muitas outras pessoas. É aí que surge o My Cond, uma ferramenta que ajuda diretamente na gestão de condomínios e na comunicação entre moradores e administradores.

Seu sucesso como empreendedora se destacou quando ela viu o fruto de sua criação tomar grandes proporções. Hoje seu app possui mais de dez mil downloads e entra na lista das ferramentas criadas por baianos com maior número de pessoas usando.

“Sou mãe de dois filhos e ainda tenho a missão de facilitar a vida de mais de 10 mil pessoas. Um trabalho nada fácil, mas possível e prazeroso”, explicou a desenvolvedora.

O MyCond chegou para melhorar a gestão dentro dos condomínios. “Com o aplicativo é possível consultar em tempo real as reservas, ocorrências, demandas e diversos outros serviços do condomínio”, listou a empreendedora que levou o aplicativo também para o Rio de Janeiro e sonha em nacionalizar seu produto.

O mercado de tecnologia ainda é um setor dominado pelos homens. Isso está mudando? Sim. A paridade entre homens e mulheres já é a ideal? Longe disso. Mas exemplos como o de Ana Rita mostram que é possível entrar no mercado de tecnologia e se destacar.

Por Lise Lobo

Deixe uma resposta