Adab renova convênio para implementação do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária

Publicidade 2

A Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), vinculada à Secretaria da Agricultura do Estado (Seagri), garantiu no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em Brasília, a extensão de um termo aditivo ao convênio que apoia a reestruturação e implementação do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa). O contempla a alteração no prazo de vigência, prorrogando para 30 de abril de 2019, e também a inclusão dos novos valores que chegam a quase R$ 4,5 milhões referente ao repasse financeiro, e R$ 269 mil como valor da contrapartida distribuído nas metas e etapas conforme plano de trabalho. 

“Conseguimos essa garantia quando estivemos aqui em novembro de 2017. Vamos ajustar alguns detalhes técnicos junto à superintendência regional do ministério, para que possamos assinar e receber os recursos que estão garantidos”, ressaltou o diretor-geral da Adab, Paulo Cezar, após sair da reunião, na sede do Mapa, em Brasília, na quarta-feira (28).

Os investimentos vão colaborar na prevenção de novas pragas e a manutenção do status de Área Livre da Mosca-da-Carambola, Monilíase do Cacaueiro, Mofo Azul do Tabaco e, do Huanglonbing – HLB, que segundo estimativas, podem causar prejuízo da ordem de R$ 2,2 bilhões na produção de citros. “Há uma necessidade de ajustes no contrato, mas os recursos para a Bahia estão garantidos”, reiterou o secretário substituto da Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA), Jorge Caetano. 

Os valores serão utilizados no exercício 2018 e tem o objetivo de garantir o tempo necessário para a conclusão dos processos licitatórios de aquisição dos insumos e contratação de empresa especializada para execução do monitoramento e controle da Ceratitis capitata (Meta 7), além da necessidade da manutenção dos serviços de Defesa Agropecuária no estado, sob pena da perda do status sanitário alcançado para diversas enfermidades e pragas dos vegetais, com sérios prejuízos para esse importante setor da economia nacional.

Segundo Paulo Cezar, a renovação do convênio é fundamental em decorrência das demandas na área de sanidade animal, que são acrescidas a cada dia, por delegações de competência pelo Mapa para atuação em diversos programas, como os de prevenção e controle de Brucelose e Tuberculose, da Raiva dos Herbívoros, Sanidade Avícola, Sanidade dos Equídeos, Sanidade Aquática e de caprinos e Ovinos.

A Bahia é pioneira na adesão ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi), permitindo o escoamento da produção baiana para outros estados, sendo atualmente um dos oito no Brasil a ter este reconhecimento, demandando recursos financeiros para sua manutenção e ampliação.

Fonte: Ascom/Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab)

Deixe uma resposta