Lideranças são capacitadas para gerir empreendimentos associativos

Publicidade 2

A BSC/Copener está capacitando líderes comunitários em gestão das organizações sociais. Os participantes são das comunidades de Ouriçanguinhas, Tombador, Catuzinho (Aramari), Iraí (Ouriçangas), Catuzinho, Buri, Mangueira, Encantado, Espuma, Ladeira Grande, Panelas e sede (Alagoinhas), Fazenda Porteiras, Cidade Nova, Prata e Poços de Orion (Entre Rios), Vila Margarida e Mucugê (Itanagra) e Assentamento Ana Rosa (Pojuca).

Ministrado por Claudete Lelis, da Lelis Consultoria, o curso tem como objetivo despertar nas lideranças a necessidade da organização e da mobilização social em grupo voltadas para os princípios da cooperação. “Além disso, busca reforçar o entendimento das lideranças quanto às responsabilidades diferenciadas entre comunidade, poder público e iniciativa privada”, explica Mouana Fonseca, coordenadora de Relações Institucionais e Responsabilidade Social da BSC/Copener.

Segundo ela, a ideia é “formar lideranças para que consigam buscar oportunidades para suas comunidades de forma autônoma; que consigam acessar linhas de crédito ou editais por meio de projetos que elas próprias irão elaborar, impactando positivamente na qualidade de vida de todos”.

Com duração de 40 horas, o curso foi projetado para acontecer em oito módulos, nos quais aborda temas relacionados ao empreendedorismo, ao papel do líder comunitário e aos desafios da gestão associativa. O curso, que vai até março, tratará ainda da gestão contábil e fiscal, marco regulatório das ONGs, captação e mobilização de recursos, acesso ao mercado institucional e políticas públicas do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar).

“Dentro de uma metodologia participativa e vivencial, espera-se que possa estimular a reflexão e a iniciativa para o autodesenvolvimento das comunidades”, diz Claudete, da Lelis. “Esse trabalho não pretende transformar por si só as capacidades daqueles que dele participam, mas contribuir para que cada um perceba a necessidade de autodesenvolver suas capacidades individuais e coletivas”, completa a consultora

Gleison Rezende – Comunicação Corporativa / BSC Copener

Deixe uma resposta