‘Se a reforma da Previdência for votada, a gente vai parar’, dizem rodoviários

Publicidade 2
Foto: Arisson Marinho

Sindicato avalia adesão à Greve Geral e acompanha ato no Iguatemi, nesta segunda-feira (19)

A Central Única dos Trabalhadores (CUT), as demais centrais sindicais e diversos movimentos sociais vão aderir à Greve Geral que acontece nesta segunda-feira (19), contra a votação da reforma da Previdência. O Sindicato dos Rodoviários da Bahia, porém, avalia se vai aderir ao movimento nacional que, em Salvador, será marcado por três manifestações.

A primeira acontece na região do Iguatemi, a partir das 7h, a segunda na Rótula da 11 em Cajazeiras, às 8h, e à tarde a concentração acontece no Campo da Pólvora, às 15h. As manifestações fazem parte do Dia Nacional de Luta contra a reforma da Previdência, do governo Temer, e têm como objetivo pressionar os deputados na hora da votação que deve acontecer nesta segunda (19), terça (20), ou quarta-feira (21).

“Os ônibus não vão parar. A gente vai acompanhar o movimento sindical no Iguatemi, os ônibus vão sair normalmente da garagem e vamos ficar na expectativa. Se a reforma da Previdência for votada, a gente vai parar”, garantiu o diretor de comunicação do Sindicato dos Rodoviários da Bahia, Daniel Mota.

Professores, petroleiros, químicos, bancários, servidores públicos e metalúrgicos são algumas das categorias que confirmaram participação na Greve Geral, na Bahia. Em Sergipe, foi realizada uma assembleia geral unificada e os servidores públicos aprovaram por unanimidade a participação.

Além de Salvador, o ato ocorrerá em Santo Antônio de Jesus, Cruz das Almas, Feira de Santana , Serrinha e Camaçari. “A greve vai acontecer de forma forte, ampla e resistente. As lideranças das categorias estarão repassando passa suas bases os direcionamentos para vencermos essa batalha contra esse retrocesso do governo Temer. E digo mais, por nossa pressão, essa reforma da Previdência não vai passar! ”, destaca o presidente da CUT, Cedro Silva.

Em São Paulo, participam motoristas de ônibus, metroviários, bancários e professores das redes municipais e estaduais, tendo como ato principal uma manifestação na Avenida Paulista, às 16h. Já no Rio de Janeiro, a ação está marcada no aeroporto Santos Dumont, no embarque dos deputados, e na Candelária, às 16h. Enquanto que em Brasília os sindicatos e movimentos populares se reúnem no Museu da República, às 17h.

Fonte: Correio 24 horas

Deixe uma resposta