Bahiafarma vai fornecer primeiros testes rápidos de febre amarela para Ministério da Saúde

Publicidade 2

Em meio ao recente surto de febre amarela no Brasil, a Bahiafarma fechou acordo com o Ministério da Saúde e vai fornecer, a partir de fevereiro, os primeiros testes rápidos para a doença desenvolvidos no laboratório público do estado, em parceria com a empresa sul-coreana GenBody.

As negociações foram concluídas durante reunião realizada ontem, em Brasília, entre o diretor-presidente da Bahiafarma, Ronaldo Dias, e a cúpula do ministério. A princípio, o contrato envolve a compra de 35 mil kits para diagnóstico de febre amarela no SUS. O método produzido na fábrica de insumos farmacêuticos do governo é o único do mundo capaz de detectar com precisão e rapidez a doença. Ao mesmo tempo, identifica quem já está vacinado e imunizado contra o vírus.

Pioneirismo
“Não há produto similar. Isso nos permite avançar sobre o mercado global”, disse Ronaldo Dias. Depois de dengue, zika e chikungunya, a Bahiafarma ganhou em dezembro aval da Anvisa para testes de febre amarela.

Entre companheiras
A liderança da oposição na Câmara de Vereadores de Salvador ficará para uma das duas únicas mulheres da bancada: Marta Rodrigues (PT) ou Aladilce Souza (PCdoB). No momento, a petista tem vantagem. Conta com seis votos consolidados, incluindo o do atual líder, José Trindade (PSL).  Já Aladilce soma quatro. Apesar da disputa, ambas negam bate-chapa. Amigas, elas garantem que a escolha será por consenso.

Saída pela tangente
Prestes a deixar o comando da bancada oposicionista e o PSL, a reboque da entrada do deputado federal e presidenciável Jair Bolsonaro, José Trindade costura sua ida para o Podemos. “Diria que estou 99% lá. As conversas avançaram muito”, afirmou. Fora Bolsonaro, a mudança tem outro pano de fundo: concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa no novo partido.

Manda quem pode
“É praticamente definido. Devo me candidatar”, confirmou José Trindade. Resta saber se terá espaço no Podemos, onde tudo gira em torno do cacique, o deputado federal Bacelar.

Caixa-preta
Um mistério levou a Corregedoria da Policia Civil a abrir investigação na Delegacia de Ilhéus, Sul da Bahia: quem foi o autor do desaparecimento do inquérito aberto contra um conhecido chefe do tráfico na cidade, preso em flagrante no dia 18 de novembro de 2015. Além do sumiço, o Ministério Público nunca recebeu a papelada e o auto da prisão de Alexander Silva Rios, o Léo Cyclone, que ficou livre para comandar o comércio de drogas no Morro da Cascalheira.

Efeito colateral
A estratégia de radicalização definida pela cúpula do PT após a derrota do ex-presidente Lula no julgamento de anteontem preocupa os aliados do governador Rui Costa. A avaliação, endossada por cardeais petistas na Bahia, é que a tática traz graves riscos os planos de reeleição.

Pílula
Nada passa –
 O governador Rui Costa (PT) vetou mais dois projetos de lei aprovados pela Assembleia: o que instituía a transparência sobre as vagas mediadas pelo setor de Regulação do SUS, do deputado estadual Hildécio Meireles (MDB), e o que obrigava hospitais a instalarem geradores de energia elétrica, de autoria de Bobô (PCdoB).

 

Correio da Bahia

Deixe uma resposta