RPPN Lontra possui 47 espécies de aves endêmicas da Mata Atlântica

Publicidade 2

Nada menos que 47 espécies de aves que só ocorrem na Mata Atlântica foram identificadas pelo Programa de Monitoramento de Fauna na RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural) Lontra, pertencente à BSC/Copener e localizada nos municípios de Entre Rios e Itanagra.

Este número corresponde a 22% das espécies endêmicas mapeadas para o bioma. Dentre as principais espécies identificadas estão o miudinho (Myiornis auriculares), o pintadinho (Drymophila squamata), o cuspidor de máscara preta (Cocopophaga melanopse) e o papa-taoca-da-bahia Pyriglena atra.

Segundo Sílvio Lima, biólogo e analista de Meio Ambiente da BSC/Copener, “a avifauna registrada na RPPN Lontra revelou-se típica de um ambiente em bom estado de conservação, com aves especialistas (que dependem exclusivamente daquele ambiente para sobreviver) e ainda um elevado número de aves que só sobrevivem em florestas”.

Meryellen Baldim, coordenadora de Meio Ambiente e Certificação da empresa, complementa que, entre as áreas monitoradas, “a RPPN Lontra se destaca por apresentar 13 espécies com alta sensibilidade às perturbações ambientais. Esse elevado número de espécies classificadas nessa categoria enfatiza o alto grau de conservação da Lontra, já que essas espécies necessitam de um ambiente muito bem conservado para sobreviver”.

Com 1.377 hectares, a RPPN Lontra é a maior reserva particular de Mata Atlântica do Litoral Norte da Bahia. Graças ao seu elevado estágio de conservação, a reserva representa um valioso acervo ambiental para pesquisas científica. No local, já foram registradas diversas espécies da fauna e flora raras, ameaçadas de extinção e até mesmo novas para a ciência, o que reafirma a importância de sua conservação.

Gleison Rezende – Comunicação Corporativa / BSC Copener

 

Deixe uma resposta